Publicado em 19/08/2014 às 08:06, Atualizado em 26/04/2017 às 10:22

Lucro das empresas brasileiras cotadas em bolsa cresce 11,46%

, EFE

O lucro líquido somado das 362 empresas brasileiras cotadas na Bolsa de Valores de São Paulo subiu 11,46% no segundo trimestre deste ano em comparação com o mesmo período de 2013, segundo um estudo divulgado nesta segunda-feira pela empresa de consultoria Economática.

De acordo com a consultoria especializada em informações da bolsa, as 362 companhias brasileiras de capital aberto obtiveram, entre abril e junho de 2014, um lucro somado de R$ 39,3 bilhões (US$ 17,8 bilhões), acima dos R$ 35,2 bilhões (US$ 16,4 milhões) do mesmo período de 2013.

Quase um décimo desse lucro foi gerado pela Petrobras, que obteve no segundo trimestre um lucro líquido de R$ 4,9 bilhões (US$ 2,2 bilhões), uma queda de 20% em relação ao mesmo período do ano passado.

As empresas brasileiras de capital aberto com maiores lucros no segundo semestre depois da Petrobras foram os bancos privados Itaú-Unibanco (R$ 4,7 bilhões ou US$ 2,1 bilhões) e Bradesco (R$ 3,7 bilhões ou US$ 1,7 bilhão).

Em quarto lugar ficou a mineradora Vale, com um lucro líquido de R$ 3,1 bilhões (US$ 1,4 bilhão), um valor quase quatro vezes maior que o do segundo trimestre do ano passado.

Na ponta contrária, as empresas cotadas em bolsa com as maiores perdas no segundo trimestre foram as companhias elétricas Eletropaulo (R$ 354,4 milhões ou US$ 161,1 milhões) e Celgpar (R$ 238,7 milhões ou US$ 108,5 milhões).

De acordo com a Economática, se fossem excluídas da lista de as estatais Petrobras, Banco do Brasil e Eletrobras, o lucro das empresas brasileiras de capital aberto alcançaria no segundo trimestre um crescimento do 47,58% em relação ao mesmo período do ano passado.

Segundo a empresa de consultoria, a queda do lucro das maiores estatais do país limitou o crescimento dos lucros das companhias cotadas na bolsa em geral.

O estudo revelou também que, dos 23 setores analisados, 15 registraram aumento do lucro líquido no segundo trimestre e oito sofreram perdas.

O setor mais lucrativo foi o bancário, do qual fazem parte 25 empresas de capital aberto e, apesar de seu lucro ter somado R$ 14,2 bilhões (US$ 6,4 bilhões), representou uma queda de 17,2% frente ao segundo trimestre do ano passado.

Se fosse retirado da lista o Banco do Brasil, o lucro dos bancos brasileiros de capital aberto no segundo trimestre registraria um aumento de 17,3% em relação ao mesmo período do ano passado.