Buscar

Mato Grosso do Sul tem a terceira menor taxa de desocupação do País

Resultado é fruto da política do governo de trocar impostos por empregos

Imagem: Chico Ribeiro

Cb image default

Com apenas 7% de desocupados, Mato Grosso do Sul ficou com o terceiro melhor resultado do País no último trimestre de 2018, revelou a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua), divulgada nessa sexta-feira (22.2) pelo IBGE.

Enquanto estados como Amapá, Bahia e Alagoas tiveram taxas de desocupação entre 15% e 20%, Santa Catarina, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul obtiveram os menores índices, respectivamente, 6,4%, 6,9% e 7%. A taxa média de desocupação em Mato Grosso do Sul caiu 0,9 pontos percentuais em relação a 2017.

O resultado se deve, em parte, à política de atração de investimentos implementada pelo Governo do Estado, com a troca de impostos por empregos. Mesmo diante da mais longa e grave crise financeira no Brasil, Mato Grosso do Sul recebeu nos últimos quatro anos mais de 60 grandes indústrias, que geraram 9,5 mil empregos em 23 municípios.

De acordo com o levantamento do IBGE, Mato Grosso do Sul tem 78% de pessoas com 14 anos ou mais ocupadas com carteira de trabalho no setor privado. É o 7º melhor resultado nacional, atrás apenas de Santa Catarina (86,8%), Rio Grande do Sul (82%), Rio de Janeiro (81,6%), Distrito Federal (81,1%), Paraná (81%) e São Paulo (80,3%).

Povo trabalhador

A pesquisa também mostra que o sul-mato-grossense é um povo trabalhador e que consegue aproveitar as oportunidades. No ranking nacional, Mato Grosso do Sul teve o segundo menor índice (9,9%) da taxa combinada da desocupação e da força de trabalho potencial, que abrange os desocupados e as pessoas que gostariam de trabalhar, mas não procuraram trabalho, ou que procuraram, mas não estavam disponíveis para trabalhar (força de trabalho potencial). O menor índice foi de Santa Catarina: 8,4%.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.