Buscar

Agentes penitenciários aceitam proposta e suspendem greve em MS

Agentes penitenciários de Mato Grosso do Sul se reuniram para discutir a contraproposta apresentada pelo Governo do Estado em resposta ao documento encaminhado na última assembleia. Os servidores decidiram aceitar a proposta de reajuste salarial de 5.5%; abono de R$ 170 incorporado no salário; manutenção de três promoções e a garantia do enquadramento funcional do artigo 54 em setembro 2017.

Devido à liminar apresentada pelo Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul, que considera a greve ilegal, a paralisação foi temporariamente suspensa e a visita do dia das mães aos presidiários foi mantida.

O Sindicato dos Servidores da Administração Penitenciária (Sinsap) informa que irá recorrer a decisão do TJMS e comunica que mesmo com a suspensão da grave, a entidade garantirá que os servidores trabalhem  cumprindo o que determina a Lei de Execução Penal, garantindo desta forma minimamente a segurança dos agentes.

Sindicato dos Servidores da Administração Penitenciária comunica que mesmo com a suspensão da greve, a entidade garantirá que os servidores trabalhem cumprindo o que determina a Lei de Execução Penal (Imagem: Divulgação / Sinsap)
Saiba mais
  • Liminar da Justiça determina que agentes penitenciários voltem ao trabalho  
  • Agentes penitenciários recusam proposta do governo e greve está mantida em MS
  • Agentes penitenciários de Nova Andradina aderem a greve estadual da categoria

O presidente do Sinsap, André Luiz Santiago, ressalta ainda que o diálogo com o Governo do Estado ainda não está concluído, que o reajuste salarial é apenas uma parte da demanda da categoria. 

 

“A negociação salarial foi aceita pela categoria, entretanto, outras demandas ainda terão que ser discutidas, entre elas, a questão da segurança do servidor, que está trabalhando de forma desumana e colocando diariamente sua vida em risco”, conclui.

Na manhã de segunda-feira (02), os 16 agentes penitenciários lotados no Estabelecimento Penal Masculino de Nova Andradina (EPMNA), responsáveis pela custódia de 95 detentos, haviam entrado em greve em adesão ao movimento realizado em todo o Estado pelo Sinsap-MS, com objetivo de pressionar o Governo do Estado por melhores condições salariais.

Agora, com a realização da negociação, os profissionais lotados na unidade localizada em Nova Andradina, a exemplo dos servidores de outros presídios do Estado, também suspenderam a greve. 

Estabelecimento Penal Masculino de Nova Andradina (EPMNA), abriga atualmente 95 detentos (Imagem: Germino Roz/Nova News)

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.