Buscar

Anjo bom da Bahia – Irmã Dulce será canonizada pelo papa Franscisco

Decreto do líder da Igreja Católica reconhece a religiosa, falecida em 1992, como sendo santa

Imagem: Reprodução / Vatican News

Cb image default

Um novo decreto assinado pelo papa Francisco reconhecendo um segundo milagre atribuído a Irmã Dulce fará com que ela seja proclamada santa. A informação foi divulgada nesta terça-feira (14) através do canal oficial de comunicação do Vaticano. O site afirma que a canonização da Irmã Dulce acontecerá durante uma solene celebração de canonizações, porém, a data ainda não foi divulgada.

Pertencente à Congregação das Irmãs Missionárias da Imaculada Conceição da Mãe de Deus, a Beata Irmã Dulce nasceu em Salvador em 26 de maio de 1914 e ali faleceu em 22 de maio de 1992. Irmã Dulce foi beatificada em 22 de maio de 2011 e com este decreto será proclamada santa.

A religiosa, que tem por nome de batismo Maria Rita Lopes de Sousa Brito, ficou conhecida como Irmã Dulce – “O Anjo bom da Bahia”. Ainda não se sabe qual milagre atribuído a ela teria motivado a sua canonização. Para ser considerada santa, entre outros critérios, uma pessoa precisa ter ao menos dois milagres reconhecidos.

Irmã Dulce já teve um deles reconhecido pela Santa Sé e que motivou sua beatificação em 2011. Desde então, mais de 3.000 relatos de graças alcançadas pela sua intercessão chegaram ao Vaticano. Os peritos consideraram três deles consistentes o suficiente para motivar a abertura de um processo de canonização.

Para ser considerado um milagre um fato precisa ter quatro requisitos: ser instantâneo, perfeito, duradouro e inexplicável. Todos os relatos de milagres foram enviados ao Vaticano, em 2014, pelas Obras Sociais Irmã Dulce, instituição social fundada por ela em 1959. As investigações correm em sigilo. (Com informações do Portal UOL e do site Vatican News).

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.