Buscar

Com alta incidência de infestação de dengue, Corumbá corre risco de surto neste ano

Corumbá apresentou índice de 4,63% de infestação da dengue o que aponta risco de surto da doença neste ano. O Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti (LIRAa) do primeiro ciclo de 2014, realizado entre os dias 6 e 8 de janeiro. 

Mais uma vez, o ‘vilão’ desta alta incidência, foi depósito de água ao nível de solo. O bairro com maior incidência, desta vez, foi o Guarani com 13,33%, bem acima do aceitável que é de até 1,00%.

De todos os imóveis visitados, o levantamento apontou  índice de 80,77% para os depósitos ao nível de solo. Em relação aos depósitos móveis (vasos e pratos, frascos com plantas, bebedouros de animais), o índice ficou em 15,38%; depósitos fixos (calha, laje, ralos, sanitários em desuso), com 18,99%, e lixo (recipientes plásticos, latas, sucatas e entulhos), com 12,50%.

O bairro Guarani foi apontado como o de maior incidência de focos da dengue, com 13,33%, seguido da Nova Corumbá, com 9,84%; Generoso, com 9,38%; Guató, com 9,09%, Centro América, com 8,33%; centro 1 (entre a Edu Rocha e Antônio Maria Coelho), com 6,19%, Popular Velha, com 5,00%; Cristo Redentor, com 4,90%; Popular Nova, com 4,23%; Dom Bosco, com 4,11%; centro 2 (entre Antônio Maria Coelho e Albuquerque), com 3,19%; Universitário, com 2,44%; Aeroporto, com 2,33%; Arthur Marinho, com 1,92%; Nossa Senhora de Fátima, com 1,82, e Maria Leite, com 1,80%. Não foram detectados focos na Cervejaria, Beira Rio, Industrial, Previsul e Jardim dos Estados.

Comparação

O índice atual está abaixo do LIRAa de janeiro de 2013, primeiro ciclo, que apontou incidência de infestação de 9,49%. Ainda sobre 2013, foram registradas 2.141 notificações, com 395 casos positivos. Somente na área central foram 347 notificações e 76 casos confirmados.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.