Buscar

Com orientação técnica e trabalho prisional, horta de presídio abastece instituições sociais de Ivinhema

Projeto está sendo desenvolvido pela Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário

Imagem: Divulgação

Cb image default

Reeducandos do Estabelecimento Penal Masculino de Regime Fechado de Ivinhema (EPMRFI) estão recebendo qualificação técnica para plantio e cultivo de horticultura em um espaço próprio dentro da unidade prisional. Além de contribuir na reintegração social dos custodiados, a produção da horta beneficia diretamente instituições sociais do município.

O projeto está sendo desenvolvido pela Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen), por meio da direção do presídio, em parceria com a Prefeitura Municipal de Ivinhema e conta com o apoio da Câmara Municipal, secretarias municipais de Obras e de Agricultura, e da Igreja Batista.

De acordo com o vereador Adimilson Fotógrafo, a finalidade desse projeto é ressocializar os internos proporcionando alimentação saudável a entidades filantrópicas do município. As primeiras doações foram realizadas em março deste ano e já foi possível ampliar o número de instituições beneficiadas. Entre as entidades filantrópicas atendidas estão “Cantinho Bem-me-quer”; Escola Sagrado Coração; Hospital Regional Municipal; além de famílias carentes cadastradas pela Igreja Batista.

Para transmitir as técnicas necessárias de horticultura, a Igreja Batista disponibilizou um engenheiro agrônomo, que ensina as especificidades aos internos, de forma voluntária.

Segundo o diretor da unidade penal, Leôncio Elídio dos Santos Junior, a intenção é customizar, para que sejam definidos os tamanhos dos canteiros, economia de água no sistema de irrigação, evitar desperdício de adubo, entre outros.

“Com o apoio de muitos colaboradores conseguimos ampliar a produção e efetivar novas parcerias para oferecer uma oportunidade de reintegração social aos custodiados, que refletem em benefícios não só para a segurança da população do município, como também em ações sociais de atenção a pessoas carentes”, complementa Leôncio.

Ao todo, seis internos trabalham na horta e recebem remição de um dia na pena a cada três de serviços prestados, conforme estabelece a Lei de Execução Penal. Na horta são produzidos alface, couve, rúcula, almeirão, acelga, cheiro verde, cebolinha, salsa, berinjela, tomate, quiabo, abóbora, pimentão, pimentas malagueta e dedo de moça; além das ervas medicinais como boldo, cidreira e capim santo.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.