Buscar

CPI busca descobrir motivos do caos na telefonia em Mato Grosso do Sul

Audiências devem seguir até o dia 17 de julho (Foto: Giuliano Lopes/ALMS)

Para descobrir os motivos do "cai, cai" das ligações e da falta de sinal em Mato Grosso do Sul, a Comissão Parlamentar de Inquérito(CPI) da telefonia marcou seis audiências públicas. A primeira será realizada nesta terça-feira (01), a partir das 15h, no plenarinho da Assembleia Legislativa do MS, em Campo Grande.

A largada dos trabalhos será com o Superintendência de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon) e com integrantes da Associação de Defesa dos Consumidores (Adec). O objetivo é descobrir as principais reclamações dos usuários para tentar encontrar soluções.

A segunda audiência será na quinta-feira (03), com representantes do Ministério Público Estadual (MPE), da Ordem dos Advogados do Brasil(OAB) e da Defensoria Pública. No dia 9 de julho, será a vez de ouvir as empresas de telefonia Vivo e Claro. Depois, no dia 11, estará na mira da CPI representantes da OI e da TIM e, no dia 15, será a última audiência com as concessionárias. Na ocasião, ficarão frente a frente com dos deputados integrantes da NET e da GVT.

No dia 17 de julho, a CPI ouvirá a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). A agência é a responsável por fiscalizar as empresas de telefonia. O plano da comissão, é descobrir os motivos dos sinais fracos, se há redes suficientes no Estado, as causas da dificuldade de aparelhos atingirem os sinais e o investimento realizado no Estado. Também é foco acabar com a norma que prevê prazo de validade dos créditos em ligações.

A comissão é formada por cinco deputados estaduais, Marquinhos Trad (PMDB), Mara Caseiro (PTdoB), Carlos Marun (PMDB), Cabo Almi (PT) e Márcio Monteiro (PSDB). 

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.