Buscar

Crescimento populacional e do consumo afetam crise hídrica, ressalta debatedor

O coordenador-geral de Irrigação e Estratégias Contra Seca do Ministério da Agricultura, Demetrios Christofidis, afirmou que os principais problemas atuais, que afetam diretamente a crise hídrica, são o crescimento populacional e o crescimento do consumo pela população.

Para ele deve-se aumentar a produção agrária através da melhoria dos sistemas de irrigação.

O representante do Ministério da Agricultura participou de audiência pública da comissão especial destinada a estudar e debater os efeitos da crise hídrica, bem como propor medidas tendentes a minimizar os impactos da escassez de água no Brasil.

O objetivo do encontro foi debater os efeitos crise hídrica e propor medidas para minimizar os impactos da escassez de água na agricultura familiar dos estados do Espírito Santo e Minas Gerais.

Demetrios Christofidis destacou que o Brasil tem potencial de crescimento na agricultura de 30 a 45 milhões de hectares, e que somente 6,5 milhões são irrigados, segundo estudos de 2014.

Ele afirma também que a maior parte dos países desenvolvidos sofreram esse problema, e que o aumento da produção é a melhor solução.

Integrantes da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag) ressaltaram o problema da falta de chuva em algumas regiões.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.