Buscar

Criança Feliz chega a mais de 262 mil atendimentos por mês, em todo o Brasil

O dia de Evânia Biones, 34 anos, começa cedo. Às 7h da manhã, a visitadora do Criança Feliz chega para o primeiro atendimento em Campina Grande, na Paraíba.

Depois de um dia inteiro orientando as famílias, ela volta para casa, troca de roupa e segue para o terceiro turno de atividades, desta vez em sala de aula onde cursa a faculdade de Serviço Social.

"A paixão pelo tema vem desde cedo. Trabalhei em vários lugares, mas meu coração sempre bateu pela assistência social porque é uma área que sonhei atuar e sentia que tinha algo a mais para fazer." E ela faz.

Há quase 10 meses, essa é a rotina de Evânia, motivo de orgulho para a visitadora, responsável por acompanhar 30 famílias na cidade paraibana.

O trabalho de orientar os pais sobre a melhor maneira de estimular o desenvolvimento dos pequenos, por meio de atitudes simples como brincar e ler um livro, é transformador. Atividades feitas na primeira infância têm impacto para toda a vida.

"Até o programa chegar, algumas gestantes acreditavam que os estímulos deveriam começar apenas depois do nascimento e é justamente onde o meu trabalho entra: estender a visão de que o bebê, dentro da barriga, já tem emoções e pode ser incentivado", afirma a visitadora.

Beneficiários - Em todo o país, um total de 262.682 crianças são acompanhadas pelo Criança Feliz. Duas delas são o pequeno Vítor, com 2 anos, e o caçula Mateus, de oito meses, filhos do casal Marcelo, 34 anos, e Edinalva da Silva, 35, que têm mais três filhos com idades entre 15 e seis anos.

O pai está desempregado e, enquanto a esposa trabalha como doméstica, ele é o responsável por cuidar da casa e dos filhos.

Porém, o casal faz questão de ouvir as orientações da visitadora Evânia juntos. "Ela nos ensina e nós tentamos fazer igual.

Tudo que é para a família da gente, em especial para os nossos filhos, tentamos fazer o melhor", conta Marcelo.

Ele explica que, antes do Criança Feliz chegar, Vítor não havia desenvolvido a fala e era, por vezes, agressivo.

Hoje, sabe as cores, pede água e os chama de "mamãe e papai". Segundo Marcelo, o programa transformou a vida de toda a família.

"É muito gratificante eu estar dia a dia com meus filhos, ensinando coisas novas e saber que o que eles estão aprendendo hoje é para o desenvolvimento deles amanhã."

É desse mesmo sentimento que outra família atendida pela visitadora compartilha. A Carmen Lúcia Romão, 36 anos, é mãe de três filhos e a pequena Sofia Beatriz, de 11 meses, é quem recebe os cuidados do Criança Feliz.

A mãe é beneficiária do Bolsa Família e ficou sabendo que sua filha poderia participar do programa quando Evânia procurou a família pela primeira vez.

"Naquele momento já achei surpreendente, porque quem é que não quer um benefício que ajuda seus filhos a se desenvolverem mais? Aceitei na hora", enfatiza.

A evolução de Sofia depois das atividades repassadas pela visitadora surpreendeu Carmen. Ela conta que a menina, até então, não sabia se arrastar. Com os exercícios, as habilidades foram estimuladas e, aos dez meses, a criança começou a andar.

"Achei rápido o desempenho dela porque vi a diferença dos meus outros filhos. Eu já fazia algumas coisas para eles, mas era instinto de mãe. Agora, foi bem mais rápido e com orientações corretas", considera.

Segundo a visitadora Edivânia, o programa Criança Feliz veio para ficar e transformar a realidade de milhares de famílias atendidas.

Com base em sua experiência, a futura assistente social destaca que as 30 famílias atendidas por ela mudaram completamente.

"Eu vejo crianças transformadas, vejo mães em atitudes simples de sentar com o seu filho e de olhar pra ele, de escutá-lo.

Vejo famílias emocionadas quando percebem a importância do programa no desenvolvimento da criança", relata.

Campanha

Com o objetivo de estimular a adesão dos municípios ao Criança Feliz e conscientizar a população sobre a importância do desenvolvimento dos pequenos ainda nos primeiros anos de vida, foi lançada a campanha publicitária "Quanto mais cuidado, mais futuro".

A iniciativa destaca a participação dos pais e visitadores no programa. Para conferir a campanha nacional do Criança Feliz, clique aqui.

Coordenado pelo Ministério do Desenvolvimento Social (MDS), o programa Criança Feliz está presente em 2.651 municípios e em 2.017 deles as visitas domiciliares já começaram.

São 262.682 pessoas, entre crianças e gestantes, acompanhadas semanalmente por 12.254 visitadores em todo o país.

O público-alvo são gestantes e crianças de até 3 anos beneficiárias do Bolsa Família e de até 6 anos que recebem o Benefício de Prestação Continuada (BPC), além daquelas que estão afastadas do convívio familiar por medidas protetivas.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.