Buscar

Em ata, Copom destaca necessidade de reformas e vê aumento de incertezas

Os diretores do Banco Central destacaram, nesta terça-feira (26), por meio da ata do Comitê de Política Monetária (Copom), a necessidade de manter a agenda de reformas econômicas, especialmente as que reequilibrem as contas públicas, para manter a taxa básica de juros, a Selic, e a inflação em níveis baixos.

“Todos os membros do Comitê voltaram a enfatizar que a aprovação e implementação das reformas, notadamente as de natureza fiscal, e de ajustes na economia brasileira são fundamentais [...] com amplos benefícios para a sociedade”, diz o documento divulgado pelo Banco Central.

Na última reunião do Copom, a decisão dos diretores da instituição foi por manter a taxa básica de juros no patamar de 6,5% ao ano, a menor da história. Eles justificaram que a decisão foi tomada por conta do aumento das incertezas externas e internas.

Paralisação

Segundo a ata da reunião, os diretores da autoridade monetária ressaltaram que os efeitos da paralisação dos caminhoneiros na inflação deverão ser pontuais e mensurados nos próximos indicadores econômicos.

Estímulo

Apesar dessas ressalvas, o Copom não viu necessidade de aumentar a taxa básica de juros, ao considerar que o atual patamar da Selic possui um efeito estimulativo em cima da economia brasileira.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.