Buscar

Engenheiro eletricista de Nova Andradina fala sobre riscos de incêndios

Autoridades apontam que curto-circuito seria a causa do incêndio no prédio que desabou em São Paulo

Cb image default
Engenheiro eletricista de Nova Andradina afirma que instalações elétricas residenciais devem ser revisadas a cada cinco anos, no mínimo - Imagem: Acácio Gomes

A confirmação do laudo mostrando que o incêndio no prédio Wilton Paes de Almeida, em São Paulo, foi causado por um curto-circuito (gerado pela ligação simultânea de um micro-ondas, uma geladeira e uma televisão), faz-nos refletir sobre a importância de se manter em boas condições as instalações elétricas.

Segundo dados da ABRACOPEL, no que se refere especificamente aos incêndios gerados por curtos circuitos, os dados mostram que nos últimos cinco anos de levantamento, os números só cresceram. 

Os levantamentos apontam 200 incêndios em 2013, 295 em 2014, com um crescimento alarmante para o ano de 2015 para 441 casos, em 2016 foram 448 e 2017 subiu novamente para 451. Em relação às cidades com mais incêndios gerados por curtos circuitos, a capital de Mato Grosso do Sul, Campo Grande, é a campeã disparada neste tipo de acidente:

Cb image default

As causas dos incêndios gerados por eletricidade são, em sua grande maioria, devido às instalações elétricas antigas, excesso de equipamentos plugados em uma mesma saída de energia (tomada), “gambiarras” e falta de manutenção.

A sobrecarga ocorre principalmente por mau dimensionamento do disjuntor ou do cabo (fio), que devem ser dimensionados em conjunto. Caso o cabo utilizado tenha seção menor que a necessária, pode sofrer sobrecarga e consequentemente aquecimento sem que o disjuntor atue podendo provocar um incêndio.

Outro ponto corriqueiro é a troca do disjuntor – porque está desligando com frequência – por um disjuntor “mais forte”, ficando incompatível com o cabo. A NBR 5410 determina a colocação de um aviso no quadro de distribuição determinando que a troca de um disjuntor pode levar à troca do cabo. Este fator é a causa mais frequente de incêndios. Diante de qualquer intervenção a ser feita em instalações elétricas, isso sempre deve ser levado em conta.

As instalações elétricas residenciais devem ser revisadas a cada cinco anos, no mínimo, sempre feita por um profissional capacitado e habilitado pelo órgão competente (CREA). Fazendo isso você terá uma rede confiável e será possível a detecção de problemas imperceptíveis para leigos, mas que geram um aumento no consumo de energia como pontos de má conexão.

Cb image default

Equipamentos nas tomadas adequadas. Há diversos produtos que precisam de ligações especiais, como ar-condicionado, nobreaks e equipamentos de emissão de calor. Por isso, confira se a tomada em questão está adequada a suportar a corrente elétrica necessária e não altere a configuração das entradas dos cabos nem use adaptadores para plugues de 20A.

Emissão de calor: cuidado! Não deixe os aparelhos que emitam calor ligados por muito tempo. Principalmente no inverno, não durma com aquecedores ligados. Esses equipamento exigem alta carga de fluxo de energia. Deixá-los ligados durante horas seguidas é muito perigoso.

Evite o “Faça você mesmo”. Instalações elétricas são perigosas e exigem muita precaução e experiência. Conte com profissionais qualificados para deixar a sua casa sempre em segurança!

Eletricidade e água não combinam! Mantenha sempre os cabos condutores de eletricidade longe de ambientes úmidos, principalmente no banheiro. Não ligue barbeadores ou depiladores elétricos após o banho.

Está construindo? Dê as devidas atenções ao projeto elétrico! Garanta sempre a segurança no futuro. Os projetos elétricos garantem a boa distribuição de energia elétrica, além de evitar más inserções de cabos que podem te dar dores de cabeça posteriormente. Existem ainda equipamentos que apesar de serem exigidos por norma, não são amplamente utilizados. Exija os disjuntores residuais em suas instalações, além de um sistema de aterramento eficiente.

Faça sempre a manutenção das instalações elétricas. Ao notar uma constante queda de disjuntor em determinado ambiente, procure um especialista. As manutenções das instalações elétricas são importantes também para verificar a qualidade dos cabos de energia elétrica e reparos pelos ambientes do imóvel.

Cuidado com os extensores e réguas de energia. Sobrecarregar a sua tomada com diversos eletrônicos podem comprometer a segurança da sua casa. É comum utilizar benjamins (T’s), ou mesmo extensões, para ligar vários equipamentos em uma mesma tomada. Esta prática, comum na maioria das casas, causa quase sempre a sobrecarga do circuito, portanto, evite ligar mais de um equipamento na mesma tomada. (*Texto de Diego Padovam Fernandes - Engenheiro Eletricista de Nova Andradina-MS, Pós Graduado em Automação Industrial. Para saber mais sobre o assunto entre em contato pelos telefones (67) 3441-7511 e (67) 99661-6574 ou visite a página no Facebook).

Crédito da publicação:

Responsável pela publicação: Acácio Gomes - Jornalista 1500/MS. Para saber como divulgar seu trabalho ou empresa através da internet e conhecer nosso serviço de assessoria de imprensa >>clique aqui<<.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.