Buscar

Governo recebe mais cinco entidades para tratar do reajuste salarial dos servidores

Mais cinco entidades foram recebidas pelo Governo do Estado nesta sexta-feira (29) para tratar do reajuste salarial dos servidores públicos. As reuniões aconteceram na Governadoria a partir da proposição do Executivo de ouvir as demandas das 47 categorias que fazem parte do funcionalismo estadual. 

No primeiro compromisso do dia, os secretários de Estado de Governo e Gestão Estratégica (Segov), Eduardo Riedel; de Administração e Desburocratização (SAD), Carlos Alberto Assis, e de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), José Carlos Barbosa, se reuniram com a Associação dos Cabos e Soldados da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros (ACS / PMBM / MS); a Associação Beneficente dos Subtenentes, Sargentos e Oficiais Oriundos do quadro de Sargentos Policiais e Bombeiros Militares do Estado de Mato Grosso do Sul (ABSS-MS) e a Associação dos Oficiais Militares do Mato Grosso do Sul (AOFMS). O deputado Carlos Alberto Davi dos Santos , o coronel David, também participou da reunião.

As negociações individuais com as entidades de classe foram definidas a partir das requisições apresentadas pelo Fórum Dialoga (Imagem: Assessoria de Imprensa)

Entre as proposições acordadas com os dirigentes sindicais estão melhorias que atendem demandas de infraestrutura e melhores condições de trabalho. A proposta será levada para as assembleias marcadas para este final de semana. Como reajuste, o governo estadual mantém proposta na forma de abono, com impacto variável de até 20% no salário dos servidores, dependendo da categoria “Tivemos uma série de avanços nas demandas das categorias. Fico esperançoso que vamos fechar em consenso”, avaliou o secretário Barbosa.

Junto com sua equipe, formada também pelo secretário adjunto, Édio de Souza Viegas, e pela coordenadora de Gestão de Carreiras da SAD, Terezinha Arantes, o secretário Assis enfatizou que o governo do estado trabalha na construção do Programa Estadual de Valorização do Servidor. “É uma reestruturação concreta, sem demagogias, que vai ao encontro das demandas dos servidores, mas que leva tempo e que se faz por meio de lei”, disse o secretário.

Ainda pela manhã, foram recebidos dirigentes do sindicato dos Servidores da Administração Penitenciária do Estado de MS (SINSAP-MS) e, à tarde, foi a vez do Sindicato dos Trabalhadores em Seguridade Social no Estado de MS (SINTSS-MS). “O governo vai fazer estudos dentro das propostas que apresentamos”, disse o presidente do SINTSS na saída da reunião. A categoria tem assembleia na segunda-feira (2).

O secretário Riedel destacou que, no quadro econômico, político e jurídico de incertezas, o governo do Estado precisa ter responsabilidade com as contas públicas. “Mesmo diante de um cenário instável e de limitações orçamentários, o governo se propôs desde o início a abrir e manter o diálogo com as categorias. E é isso que estamos fazendo”, destacou.

As negociações individuais com as entidades de classe foram definidas a partir das requisições apresentadas pelo Fórum Dialoga, instrumento crido pelo governador Reinaldo Azambuja para facilitar o diálogo com as entidades representativas dos servidores públicos estaduais.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.