Buscar

Governos não podem enfrentar escalada da violência sozinhos

Em discurso na quinta-feira (8), o senador Jorge Viana (PT-AC) afirmou que o Brasil vive uma guerra civil, onde o número de assassinatos, somente em 2017, foi de 62 mil. Saldo muito maior do que o resultado da bomba atômica que atingiu o Japão em 1945, disse o parlamentar.

Para Jorge Viana, todos os políticos devem colaborar para a compreensão da violência que atinge o país e propor soluções para o problema.

Ele criticou o corte de verbas do governo federal para a área da segurança pública e afirmou que um governo de Estado não tem condições de enfrentar as organizações criminosas sozinho.

Ao elogiar a aprovação pelo Senado do projeto de lei complementar que obriga a instalação de bloqueadores de sinal de telefones celulares em presídios, Jorge Viana lembrou que o governador do Acre, Tião Viana, já havia implementado a medida em todos os presídios do estado.

Os colegas senadores do Acre falaram sobre esse tema. Eu os cumprimento por isso, é importante, mas acho que, mesmo num ano eleitoral, nós devemos separar as coisas.

Eu acho que querer passar para governos de Estado ou prefeitos a responsabilidade exclusiva sobre o aumento da violência é não enxergar o que está ocorrendo no Brasil – comentou.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.