Buscar

Juíza que já atuou em Nova Andradina debate violência de gênero na Suíça

Magistrada está em Genebra, participando como debatedora de duas mesas redondas em evento realizado na sede europeia da ONU

Fotos: Divulgação/TJ-MS

Cb image default

A juíza Jacqueline Machado, que já atuou na Comarca de Nova Andradina e que responde pela Coordenadoria da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar de Mato Grosso do Sul, está em Genebra, na Suíça, para participar como debatedora de duas mesas redondas no evento “Derechos y Progreso para todos los Niños en la Era de los ODS”, realizado no Palácio das Nações, sede europeia das Nações Unidas (ONU).

A magistrada representou o Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul e a Cátedra Unesco de Gênero, Diversidade Cultural e Fronteiras da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD), que faz parte de projetos de pesquisa. Todos os custos com a viagem, hospedagem e participação foram pagos pela própria juíza.

O curso integra professores de outras cátedras como da Argentina, Colômbia, Chile e Espanha e é patrocinada pela OIDEL, entidade internacional e não governamental, com fins educacionais.

Jacqueline participou na terça-feira (16), da mesa “Discriminação baseada no gênero: O desafio foi superado?”. Na quinta-feira (18) ela integrará a mesa redonda intitulada “Crianças e Adolescentes em situação de vulnerabilidade (rua, trabalho e exploração sexual): entre a violência e a invisibilidade”.

Cb image default

“Falei sobre a desigualdade de gênero, os números da violência contra a mulher no Brasil e no Mato Grosso do Sul, além dos projetos que já implementamos na Coordenadoria da Mulher”, relatou ela, que considerou riquíssima a experiência no evento.

“Ouvi testemunhos muito fortes de mulheres que foram violadas em seus direitos e pude conhecer as situações de outros países quanto à desigualdade entre homens e mulheres, bem como práticas positivas para a mudança”, finalizou contando que o consenso entre os participantes é que a mudança só é possível com a educação para a equidade de gênero.

Participaram da mesa o advogado do escritório da ONU para a defesa dos povos indígenas Andrés Castilho, professor da Faculdade de Direito de Genebra; Gladys Acosta Brandrup, professora e conselheira municipal de Vernier, e Andrés Del Castillo, assessor jurídico sênior do DOCIP.

Agenda 2030 - Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) são uma coleção de 17 metas globais, estabelecidas pela Assembleia Geral das Nações Unidas e fazem parte da Resolução 70/1 da Agenda 2030. Entre as metas que devem ser alcançadas por todas as nações estão a igualdade de gênero e a justiça social, temas relacionados com a atuação do Poder Judiciário no Brasil.

(*As informações são do TJ-MS)

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.