Buscar

Mais de 90% do público-alvo é imunizado contra a gripe

Com a vacinação de 51,4 milhões de pessoas contra a gripe, o Ministério da Saúde alcançou a meta de imunizar 90% do público-alvo contra o vírus. O grupo abrange idosos acima de 60 anos, gestantes e crianças de seis meses a cinco anos.

O órgão vem fazendo alertas frequentes para ampliar o número de imunizados, já que, até a última quarta-feira (11), 6 milhões de pessoas no grupo prioritário ainda não tinham se protegido contra o vírus. Especialistas da área têm se mostrado preocupados com a queda da cobertura de vacinação em todo o País, fator que ameaça não só quem deixa de se imunizar, mas todos os que estão próximos.

No entanto, de acordo com o ministério, mesmo com o alcance da meta, a cobertura não atingiu os índices satisfatórios entre as grávidas e as crianças. Pelos dados divulgados nesta quarta (18), haviam sido imunizados 77,8% e 76,5% desses públicos, respectivamente.

Por isso, as gestantes e os responsáveis pelos menores de cinco anos devem procurar os postos de saúde para atualizar o cartão de vacina. Ainda há 8 milhões de doses disponíveis. Nas cidades onde há estoque, a imunização foi ampliada para as crianças entre cinco e nove anos e os adultos de 50 a 59 anos.

A dose é segura e previne que, em caso de infecção, o paciente desenvolva quadros graves da doença, que pode levar à morte. A vacina distribuída na rede pública protege contra três cepas do vírus da gripe, que foram indicadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Neste ano, foram notificados 4,6 mil casos de infecções pela influenza. Dessas pessoas, 839 morreram.

Sarampo

Além da prevenção da gripe, a pasta também se debruça sobre o controle dos casos de sarampo no País. Com a ajuda da vacina, a eliminação da doença chegou a ser reconhecida há dois anos pela Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), mas houve novos registros este ano, sobretudo no Amazonas e em Roraima. Até essa terça-feira (17), foram confirmados 677 casos no país, enquanto 2.724 estão sob investigação.

A vacina tríplice viral, ofertada nos postos de saúde, assegura a imunização contra sarampo, rubéola e caxumba, assim como a tetra-viral. A dose faz parte do Calendário Nacional de Vacinação. Para controlar o surto, o Ministério da Saúde prioriza a dose para crianças, mas os adultos que não foram imunizados também devem tomá-la.

Neste ano, a meta é que 95% do público-alvo seja protegido. Segundo o calendário de vacinação, crianças de um a cinco anos de idade devem receber a tríplice viral aos 12 meses e a tetra-viral aos 15 meses. Se a criança completar cinco anos e ainda não tiver sido vacinada, deve tomar duas doses com um intervalo de 30 dias entre as aplicações. Essa medida é indicada até os nove anos de idade.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.