Buscar

Novo acordo com os Estados Unidos amplia voos entre os países

O acordo de "céus abertos" entre Brasil e Estados Unidos da América (EUA) foi promulgado na última terça-feira dia (26) pelo presidente da República, Michel Temer.

A medida deve aumentar a concorrência entre companhias aéreas, reduzir os custos e desenvolver o turismo brasileiro.

Hoje, o Brasil opera para 11 destinos nos EUA, com média de apenas 26 viagens a cada 1.000 habitantes. Com o acordo, o aumento estimado de passageiros é de 47%, correspondente a cerca de 6 milhões de pessoas.

É previsto que haja acréscimo de 1,3 milhão de turistas visitando as regiões brasileiras por ano.

O novo documento substitui o Acordo sobre Transporte Aéreo entre os governos brasileiro e norte-americano, vigente desde 1989.

O que muda com o acordo?

Ele retira o limite de frequência de voos entre os dois países, que é atualmente de 301 voos semanais. As companhias americanas e brasileiras terão o direito de sobrevoar o território do outro país, sem pousar, bem como o de fazer escalas para fins não comerciais.

O pacto permite a abertura ou o encerramento de novas rotas aéreas entre os dois países, sem os limites de voos semanais atuais, de acordo com a decisão das empresas aéreas.

Quais são os benefícios?

A medida traz facilidade ao deslocamento das pessoas e ampliação de cidades que receberão voos dos Estados Unidos, alavancando seu desenvolvimento.

O que significa "céus abertos"?

O conceito ajuda a definir o funcionamento de um mercado de transporte aéreo com menos intervenções governamentais e maior liberdade operacional por parte das companhias do setor.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.