Buscar

Odilon Governador, da teoria à prática. Quem pagará a campanha?

Cb image default
Divulgação

Acompanho de perto e ativamente, desde 2009, cada oportunidade que vislumbro de quebra do sistema mafiocrata de Mato Grosso do Sul.

Participei pessoalmente (e viabilizei) cada um dos incidentes que foram enfraquecendo moral e legalmente esse sistema (desde os casos Minc e Rigo no Jornal Nacional, aos processos no MPF, CNJ, CNMP, ações populares contra o esquema da ALMS e até no voto vista e decisivo no julgamento do recente HC da turma no STF).

Condenei quase todos os sites e jornais que sustentam esse sistema (a maioria deles não tem sequer como pagar o que me devem – são mais de R$ 30 milhões em condenações, de norte a sul em MS) e dei orientação e proteção jurídica e pessoal para os sites e jornais que entendi trabalharem em pró da quebra do sistema.

Fui atacado em dezenas de processos simulados e tranquei ou venci todos, sempre preocupado em ganhar e mostrar que não adianta me intimidar.

Quando vislumbrei a ruptura de grupos no caso Bernal, me reuni com ele quase todos os dias, por meses, organizando toda aquela energia e “ódio”, para furar o sistema também por dentro.

E sou o primeiro a acreditar que a eleição do Juiz Odilon poderá ser um divisor de águas.

Mas há uma diferença entre a prática e a teoria.

Pesquisa no cenário estático é uma coisa.

Eleição é outra.

E mais.

Isso é muito mais que ganhar uma eleição.

O que está em jogo é a efetiva entrega do sonho de muitos cidadãos, de romper um sistema.

E isso precisa ser organizada, desde o início.

Da forma como está, sequer se conseguirá o coeficiente eleitoral para se eleger um Deputado Federal.

Eu acabei de ficar uma semana em Campo Grande e tudo que vi foi um cordão de isolamento.

Pessoas dormindo abraçadas em pesquisas e sonhando em acordar em 07.10.2018.

E eu pergunto: quem pagará a campanha?

A lei eleitoral não admite mais a doação de empresas.

Pessoas físicas somente podem doar até o limite de 10% do rendimento bruto no ano anterior.

O candidato pode agora pagar tudo, mas o Juiz Odilon sempre foi um assalariado. Não é o Dória!

Todos os candidatos endinheirados estão fechando com quem está no poder e tem a máquina.

E quem está no poder, saberá usar a máquina para fechar todas as fontes tradicionais.

Portanto, se o Juiz Odilon não arrumar um vice que tenha dinheiro para pagar a conta e fonte para comprovar cada real, me parece que temos um problema estrutural e legal intransponível.

Como empreendedor (com R$ 8 bilhões de VGV em equities), já vi, estudei e acompanhei dezenas de planos de negócios e sem funding, nada para de pé. São sonhos .... ou delírios....

As pesquisas eleitorais são meros testes de mercado para se saber se o produto tem viabilidade.

E em que eleição recente, quem estava na frente nas pesquisas na mesma fase, a levou no final?

Siga Eduardo Bottura no FACEBOOK:

https://www.facebook.com/eduardo.bottura.ms

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.