Buscar

PMA capturou 1742 animais silvestres em áreas urbanas durante o ano passado

Em Nova Andradina não é rara a presença de capivaras em perímetros residenciais

Imagens: Divulgação / PMA

Cb image default

Nos últimos dias, uma onça-parda causou grande alvoroço ao penetrar no perímetro urbano de Dourados e subir em uma árvore para se proteger da presença humana. Apesar de este ser um caso inusitado, a PMA realiza captura de animais há 31 anos e já capturou anta em piscina, capivara dentro de armários e fossa, antas e jacarés em lagoas de tratamento de indústria, gambá dentro de máquina de lavar, serpentes e lagartos em áreas de motores e dentro de veículos, tamanduá-bandeira dentro de churrasqueira, entre outros.

No ano passado (2017), policiais militares ambientais do Estado capturaram 1.742 animais silvestres nos perímetros urbanos. Um aumento de 25% com relação ao ano de 2016. Isso dá uma média de cinco animais diariamente. No mês de janeiro deste ano (2018) já foram capturados 203 animais, o que dá em média 6,54 animais. Os principais animais capturados são aves.

Nova Andradina

Em Nova Andradina, a presença de animais silvestres em áreas urbanas também ocorre. Em fevereiro de 2017, por exemplo, ao ouvir um barulho no portão, uma moradora foi surpreendida com a presença de uma capivara em frente à sua casa. O fato ocorreu na Avenida José Heitor de Almeida Camargo, próximo ao chamado “buracão”.

Em 2018, mais precisamente no dia 19 de janeiro, a PMA de Batayporã precisou ser acionada para capturar uma capivara que foi encontrada no quintal de uma residência no Bairro Santa Terezinha, também em Nova Andradina. O animal foi capturado e reintroduzido à natureza, em local de área de preservação permanente do município de Batayporã. O número de animais silvestres capturados em áreas urbanas na região de Nova Andradina foi solicitado pelo Nova News junto à PMA em Campo Grande, que deve tentar apurar os dados.

Na Capital, Campo Grande, a média em 2016 e 2017 foi de 2,25 animais, sendo respectivamente 823 e 824 animais capturados. No mês de janeiro deste ano (2018) já foram capturados 88 animais, o que dá em média 2,83.

Cb image default

A PMA realiza esse trabalho de captura e contenção de Animais Silvestres há 31 anos em todo o Estado. Isto em razão da confiabilidade que a população adquiriu na instituição, desde 1987, quando venceu a “guerra” contra os “coureiros”, que quase extinguiram o jacaré-do-pantanal.

O fato de o animal aparecer nos centros urbanos não se trata de crime e nem infração administrativa, porém, é efetuada a captura. Acontece que a PMA disponibiliza diariamente apenas uma viatura e uma equipe em cada uma das suas subunidades no Estado, preparada para realizar esse trabalho, pois o papel constitucional primordial da unidade é a prevenção, ou seja, a manutenção dos policiais em campo para que os crimes e infrações não aconteçam.

Segundo a PMA, os desmatamentos legais ou ilegais, que acontecem nas circunvizinhanças das cidades, diminui o habitat e alimento da fauna silvestre, que cada vez mais, precisa percorrer maiores distâncias na migração em busca de alimentos e acabam entrando nos perímetros urbanos.

O aparecimento de animais silvestres, principalmente onças, em áreas urbanas está tão evidente que o assunto foi tema  recente do programa Domingo Espetacular, da Record TV. No dia em que o material foi ao ar, o caso da onça capturada em Dourados ainda não havia ocorrido, porém, na reportagem, é mostrado o ataque de uma onça contra cães de uma propriedade em Mato Grosso do Sul.

PGlmcmFtZSBpZD0iX2hjc2N5OW5hayIgc3JjPSJodHRwczovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS9lbWJlZC91ODN2TlpraGxFVT9yZWw9MCZhbXA7YW1wO3Nob3dpbmZvPTAiIGZyYW1lYm9yZGVyPSIwIiBhbGxvd2Z1bGxzY3JlZW49IiI+PC9pZnJhbWU+

Alerta

Em caso de aparição de animais silvestres em áreas urbanas ou habitadas, a recomendação é que as pessoas mantenham uma distância segura e acionem a PMA, o Corpo de Bombeiros ou outras autoridades disponíveis no momento e jamais tentar capturar estes animais por meios próprios. No Vale do Ivinhema, o telefone da PMA de Batayporã é o (67) 3443-1095.

Tráfico de animais

Além da captura de animais silvestres, a PMA tem prevenido e combatido o tráfico e animais no Estado. O período mais preocupante para a PMA com relação ao tráfico de animais silvestres concentra-se entre o mês de agosto a dezembro, que é o período de reprodução do papagaio, a qual é a espécie mais traficada no Estado. A PMA realiza trabalhos preventivos nas propriedades rurais, por meio de informação da legislação e Educação Ambiental.

A região principal do problema e foco da prevenção são os municípios de Jateí, Batayporã, Bataguassu, Ivinhema, Novo Horizonte do Sul, Anaurilândia, Santa Rita do Pardo, Nova Andradina e Brasilândia, além de Naviraí e Mundo Novo. As Subunidades da PMA que cobrem estas áreas realizam monitorando e os movimentos dos traficantes.

Outras questões relativas à fauna envolvem um empenho extraordinário da Polícia Militar Ambiental, tais como, a caça ilegal, a criação de animais silvestres em cativeiro, que alimenta o tráfico, bem como os maus-tratos a animais silvestres e domésticos. (Com informações da PMA).

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.