Buscar

Projeto obriga empresas a atualizar mapas de GPS a cada dois anos

Empresas que fornecem mapas para aparelhos de GPS podem ser obrigadas a atualizar a cada dois anos os dados fornecidos aos usuários. É o que determina o Projeto de Lei da Câmara (PLC) 52/2015.

O texto, que está na Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática (CCT), estabelece que os arquivos necessários para a atualização do sistema devem estar disponíveis pela internet sempre que uma nova versão do mapa for lançada.

A atualização deve ser feita nos mapas usados nos aparelhos próprios das empresas ou fornecidos a terceiros.

Todos os dispositivos que usem sistemas de navegação produzidos no Brasil devem trazer visível a data da última atualização dos mapas instalados.

A atualização é obrigatória mesmo no caso de a empresa deixar de vender o aparelho. Nesse caso, as atualizações periódicas devem ser mantidas por pelo menos cinco anos, contados da data de descontinuação do dispositivo de GPS. As empresas que descumprirem a regra terão que pagar multa de R$ 10 mil.

Ao apresentar o texto, o deputado Paulo Feijó (PR-RJ) lembrou que o sistema de GPS se popularizou e está presente em grande parte dos smartphones.

Para ele, as constantes alterações das vias públicas exigem a atualização dos mapas para garantir a segurança dos usuários.

"Com a difusão dos aparelhos GPS nos automóveis no Brasil, essa atualização se tornou um item de segurança. Imagine-se, por exemplo, o risco aos usuários do sistema no caso de alteração do sentido de uma via.

Uma informação desatualizada no sistema de navegação pode levar o motorista a ingressar na contramão, gerando um grande risco de acidente", exemplificou.

O texto aguarda o relatório do senador Hélio José (Pros-DF). Depois de votado na comissão, ainda precisa passar pelo Plenário do Senado.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.