Buscar

Segurança hídrica: lições e desafios para os próximos anos

Do aumento populacional à redução das chuvas com longos períodos de estiagem, o Brasil vem atuando nos últimos anos para garantir a segurança hídrica aos brasileiros após um longo período de falta de chuva e estiagem. Balanço divulgado pela Agência Nacional de Águas (ANA) referente ao ano passado mostra um caminho de desafios e lições aprendidas durante as recentes dificuldades de abastecimento para combater a falta de água no País.

“A compreensão da crise hídrica que o Brasil tem enfrentado nos últimos anos, a valorização do recurso hídrico como bem público finito e a conscientização da necessidade de um uso mais sustentável são essenciais para que se tenha maior garantia da oferta de água”, considera o órgão no documento.

Avaliação

Segundo o documento, os efeitos da mudança climática global não devem ser ignorados e, para isso, é importante investir em infraestrutura adequada e agir para integrar a gestão de riscos entre os órgãos estaduais. Além disso, também é preciso otimizar o uso e o armazenamento da água no País.

Ações emergenciais

Para sanar os problemas mais urgentes, a ANA destacou algumas ações realizadas por estados brasileiros. No Distrito Federal, por exemplo, foram suspensas perfurações de poços e captações de água por caminhões-pipa, além do racionamento no consumo de água. Além disso, uma obra para captar água do rio Corumbá IV para regiões do DF e do Goiás está em estágio avançado.

Em São Paulo, que sofreu uma forte crise em 2014, reservatórios foram interligados para garantir a vazão de água na região. No estado, medidas emergenciais como a implantação de bombas para captação do volume morto e bonificação tarifária para reduzir o consumo também foram tomadas.

Na região Nordeste, o grande destaque é a conclusão das obras de Integração do Rio São Francisco. Promessa antiga, o empreendimento vai garantir a segurança hídrica de cerca de 12 milhões de pessoas entre os estados de Pernambuco, Ceará, Rio Grande do Norte e Paraíba.

Novos hábitos

Nesse contexto, também é importante destacar que a falta de água resultou em uma mudança de hábito por parte dos brasileiros. Levantamento do instituto Ipsos, encomendada pela multinacional Whirpool, mostra que a população ficou mais consciente a respeito do uso da água.

De acordo com a pesquisa, 56,5% dos brasileiros passaram a tomar banhos mais curtos a partir da crise hídrica, enquanto 45,1% dos entrevistados disseram que passaram a fechar a torneira durante a hora de escovação dos dentes.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.