Buscar

SIG de Três Lagoas deflagra Operação Vale-Alimentação

Na tarde desta quinta-feira (14), a Polícia Civil de Três Lagoas, através do 1ºDP; 2ºDP e SIG,sob o comando do Dr.Ailton Pereira de Freitas cumpriram três mandados de busca e apreensão expedidos pela Justiça local, nas residências do presidente e do vice-presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais, bem como na sede do referido sindicato, cujo objetivo era apreender cartões de vale-alimentação, dentre outros documentos, pois segundo consta, servidores municipais estavam reclamando que procuravam o sindicato para questionar o fato de não serem beneficiados com o benefício do vale-alimentação.

Eles eram informados pelos representantes do sindicato de que não tinham direito a tal benefício, sendo que alguns cartões desse benefício que deveriam ser distribuídos aos servidores, pelo sindicato, estavam sendo utilizados no comércio local e, durante as investigações os policiais descobriram que o vice-presidente João Francisco da Silva Theodoro, 57 anos, estava utilizando tais cartões.

Em vista disso, foi deflagrada a operação, que culminou com a apreensão de vários documentos e cartões de benefício vale-alimentação, em nome de funcionários públicos, cujos cartões não deveriam estar na sede do sindicato, sendo também encontradas relações de beneficiários/servidores, na residência do vice-presidente, sendo que da relação constava nomes de servidores que os cartões vinham sendo utilizados indevidamente.

Segundo o delegado, “esses cartões vinham sendo utilizados, indevidamente, há cerca de oito meses, quando deveriam ter sido entregues aos seus legítimos titulares”. Durante a busca na residência do presidente do sindicato, José Antônio Vieira, 52 anos, foi apreendido uma arma de fogo tipo pistola, calibre 7.65, sem documentação legal, municiada, e o mesmo foi autuado em flagrante pela prática de posse ilegal de arma de fogo na data de ontem (14), mas mediante Alvará de Soltura, ele foi solto e vai responder o processo em  liberdade. João Francisco alegou que utilizava os valores neles creditados para efetuar compras para o sindicato.

“Toda a documentação e cartões foram apreendidos e serão intimados os beneficiários para que tomem conhecimento dos fatos, pois na verdade vinham sendo enganados por representantes do sindicato, que diziam que eles não tinham  direito a tal benefício, o que não era verdade, pois a Prefeitura local todos os meses encaminhava a relação dos beneficiários, bem como repassava os valores ao sindicato, que era responsável pela administração e repasse dessa verba aos funcionários, através da administradora do cartão, contratada pela instituição sindical. Diligências prosseguem no intuito de dar cabal elucidação dos fatos e descobrir se outras pessoas têm envolvimento nesse crime”, finaliza o delegado.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.