Buscar

Carlos, o Chacal é condenado à prisão perpétua na França

A Justiça francesa condenou nesta terça-feira (28) o terrorista venezuelano Ilich Ramírez Sánchez, conhecido como Carlos, o Chacal, à prisão perpétua por um atentado em Paris, em setembro de 1974, no qual duas pessoas morreram e  34 ficaram feridas. As informações são da Agência EFE.

O Tribunal Criminal de Paris comunicou a terceira condenação à prisão perpétua do Chacal – atualmente com 67 anos e preso na França desde agosto de 1994 – após quatro horas de deliberação. O juiz François Sottet disse que, depois deste processo, que começou no último dia 13, o tribunal considerou provado que o venezuelano foi responsável pelos crimes.

A principal acusação é dos assassinatos de François Benzo e David Grunberg, após a explosão de uma granada lançada em uma galeria comercial do Boulevard Saint-Germain, em Paris, em 15 de setembro de 1974. Ele também foi condenado pelos ferimentos em 34 pessoas que estavam no local no momento da ação, pelos danos materiais causados e por posse e transporte de granada.

Antes de o tribunal se retirar para deliberar, Ramírez Sánchez denunciou que o processo foi "absurdo" por ter ocorrido quase 43 anos depois dos fatos e, principalmente, porque ele não teve chance de ficar frente a frente com as principais testemunhas. Na mesma linha pronunciaram-se, após a leitura da sentença, seus advogados, que anunciaram a apresentação de um recurso para um novo julgamento de apelação.

Ilich Ramírez Sánchez está preso há 22 anos, desde que foi capturado no Sudão em uma operação dos serviços secretos. À época, ele já tinha recebido duas sentenças de prisão perpétua: a primeira, em 1997, por ter assassinado dois agentes secretos franceses e um confidente, em 1975, em Paris; e a segunda, confirmada em apelação em junho de 2013, por quatro atentados cometidos na França em 1982 e 1983, nos quais 11 pessoas morreram e cerca de 200 ficaram feridas.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.