Buscar

FAO: Ano Internacional das Leguminosas é encerrado com forte apelo para produtores

Embora o Ano Internacional das Leguminosas tenha ajudado a criar conscientização mundial sobre os muitos benefícios desses alimentos, os ganhos devem ser fortalecidos entre os produtores e o setor privado em geral para alcançar os objetivos de desenvolvimento da comunidade internacional.

O apelo foi feito pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) na sexta-feira (10).

A agência da ONU observou que, desde o lançamento do ano, foram criadas, entre outras atividades, laços entre organizações de agricultores e o setor privado, a fim de facilitar o intercâmbio de informações e o diálogo político sobre a produção, o comércio e o consumo de leguminosas.

Além disso, no ano passado, líderes em política e pesquisa abordaram as principais questões relacionadas ao tema em vários fóruns internacionais, e muitos comitês nacionais foram criados no ano passado.

"Embora o ano tenha sido oficialmente encerrado, é essencial manter o ímpeto", disse a vice-diretora geral da FAO, Maria Helena Semedo, na cerimônia de encerramento oficial do ano, que foi organizada pelo governo de Burkina Faso.

Ela observou que a FAO continuará trabalhando com as partes interessadas para promover a produção e o consumo desses alimentos.

"Para enfrentar melhor o problema triplo da gestão da fertilidade do solo, da redução dos efeitos adversos das alterações climáticas e a questão da segurança alimentar, produzir e consumir leguminosas é uma grande oportunidade, especialmente para as pessoas mais vulneráveis", acrescentou o presidente de Burkina Faso, Roch Marc Christian Kaboré.

As leguminosas são alimentos valiosos para a implementação do Objetivo 2 de Desenvolvimento sustentável da ONU, que visa a acabar com a fome; com a insegurança alimentar; melhorar a nutrição; e promover uma agricultura sustentável.

Globalmente, a produção de leguminosas tem aumentado de forma lenta, mas estável. Em 2014, a produção global atingiu 77 milhões de toneladas, um aumento de 21 milhões de toneladas em relação a 2001.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.