Segunda, 16 de Dezembro de 2019
Buscar

Anaurilândia - Polícia combate crimes de agiotagem, lavagem de dinheiro e falsificação de documento público

Um dos investigados confirmou que o grupo movimentava R$ 100 mil por mês com empréstimos ilegais

Cb image default
Polícia Civil apreendeu dinheiro, cheques e documentos - Imagem: Divulgação / PC

Na manhã desta quinta-feira (28), agentes da Polícia Civil realizaram, em Anaurilândia, uma operação relativa ao desdobramento de uma investigação que apura crimes como agiotagem, lavagem de dinheiro e falsificação de documento público.

Conforme apurado nas investigações, os suspeitos além de praticarem a conduta de emprestar dinheiro sem autorização legal e mediante a cobrança de juros superiores às taxas permitidas por lei, estariam se utilizando de um estabelecimento comercial em Anaurilândia para realizar a cobrança dos empréstimos e movimentar os valores negociados.

O Nova News apurou que pelo menos oito vítimas foram ouvidas pela Polícia Civil e confirmaram que teriam realizado empréstimos com os investigados, pagando juros superiores aos previstos em lei, sendo que, mesmo aquelas que já teriam quitado as pendências ainda continuariam sendo coagidas a desembolsarem novos valores.

Segundo a Polícia Civil, as vítimas disseram que receberam ameaças de serem inseridas em cadastros de proteção ao crédito, através do estabelecimento comercial de um dos investigados, caso não colaborassem. Em alguns casos, foi verificado que as pessoas lesadas chegaram a pagar o dobro da dívida originalmente contratada apenas a título de juros, sem conseguir obter a referida quitação.

Cb image default
Comércio localizado no centro de Anaurilândia seria usado pelo grupo para movimentação do dinheiro - Imagem: Whatsapp / Nova News

Ao todo foram cumpridos mandados em três endereços onde foram apreendidos grande quantidade em dinheiro, cheques de terceiros que evidenciam a prática ilegal de usura, um computador, documentos com anotações dos crimes investigados, notas falsas em dinheiro e grande quantidade de material utilizado na contravenção penal de jogo do bicho.

Durante as diligências duas pessoas foram conduzidas até a Delegacia de Polícia para prestarem esclarecimentos sobre os fatos investigados e os materiais apreendidos. Um terceiro indivíduo encontrava-se fora da cidade.

Conforme a polícia, um dos investigados confirmou que o grupo movimentava, em média, R$ 100 mil por mês com a prática dos empréstimos ilegais, ou seja, agiotagem.

As diligências realizadas nesta quinta-feira (28) fazem parte de uma das fases do inquérito policial que está em tramitação e que após a conclusão será encaminhado ao Poder Judiciário. Os trabalhos foram realizados por agentes da Polícia Civil lotados em Anaurilândia e em Bataguassu.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.