Buscar

Após semestre fechar com índices reduzidos, criminalidade volta a ‘ganhar’ força em Nova Andradina

Mesmo cenário também se repete em municípios circunvizinhos com a ação ousada de criminosos

Entre altos e baixos, o cenário da criminalidade em Nova Andradina, e na região como um todo, não deixa de preocupar. Após o primeiro semestre fechar com índices reduzidos, a bandidagem insiste em querer voltar a ganhar força e chama a atenção ao ir além de qualquer limite.

Considerado o ‘carro-chefe’ entre os crimes que mais ocorrem, o destaque é para a onda de furtos que voltou a ter números maiores em julho. Mesmo menor em relação a 2017, o aumento registrado é de cerca de 33%. De 57 no mês anterior, subiu para 76 no primeiro mês deste segundo semestre. No ano, o quantitativo é o maior só atrás de maio com 86.

Fora a alta no número de casos, uma situação de alerta passou a chamar a atenção nas últimas semanas: o ‘modus operandi’ colocado em prática pelos criminosos. Traduzida para o português, a expressão em latim significa o modo como agem ao executar um crime.

Além do modo de agir, os furtos em julho saíram de um patamar antes limitado a crimes apenas de menor proporção como, em sua maioria, acontecem. Sem ser intimidados com câmeras e sistemas de segurança, os criminosos miraram como alvos duas lojas em plena área central de Nova Andradina.

Conforme noticiado pelo Nova News à época, na primeira loja, uma de móveis e eletrodomésticos, o chegou a aproximadamente R$ 8 mil o furto de sete aparelhos celulares. Já o segundo caso, em uma loja de materiais esportivos, o prejuízo foi de cerca de R$ 5 mil.

Quando o assunto é ousadia extrema, os fatos que mais impactaram as forças policiais e a população aconteceram no último final de semana de julho. Ambos coincidentemente no mesmo dia, o primeiro caso foi de um jovem que chegou ao ponto de escalar o muro da delegacia de Anaurilândia, em plena luz do dia, para furtar um aparelho de som e em seguida soltar os presos que lá se encontram. Por sorte, a ‘empreitada’ não deu certo e o suspeito foi preso.

Cb image default
Mesmo com repressão e prisões, índices de criminalidade voltaram a subir – Foto: Divulgação/PM

Horas mais tarde, um sargento da Polícia Militar, lotado no grupamento de Batayporã, teve a casa invadida por uma quadrilha presa horas depois no Estado de São Paulo. Além de vários objetos de valor, os criminosos chegaram ao ponto de levar o colete balístico com o nome de inscrição e o tipo sanguíneo do policial. Tais crimes aconteceram no último sábado (28).

Entre os últimos crimes, bandidos tentaram furtar uma agência bancária em Angélica e também um corresponde bancário no município de Taquarussu. No primeiro caso, a ação foi frustrada pela Polícia Militar.

‘Dias de calmaria’

Matéria de destaque do Nova News, o primeiro semestre de 2018 fechou com alta redução nos crimes que geralmente mais preocupam a população. Os furtos reduziram 63,5 % e os roubos surpreenderam com 109,5% a menos em comparação ao mesmo período do ano passado.

Em relação aos furtos, o percentual de redução ultrapassou 82% no último mês do semestre. Segundo o levantamento realizado pela reportagem, o número entre 1º e 31 de julho chegou a 76, contra 57 em junho que equivale a 33% o aumento. A boa notícia é que os roubos não aumentaram e os índices de modo geral são menores comparados com 2017.

Matematicamente, a média de furtos registrados em Nova Andradina hoje é de mais de dois casos por dia. Os principais alvos são a área central, Bairro Centro Educacional, São Vicente e Cristo Rei. Desde celulares a televisores, os crimes acontecem mais aos domingos, segundas e terças-feiras.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.