Buscar

Com 49% de abstenção, cabos e soldados reelegem Edmar como presidente da ACS

O presidente da ACS (Associação dos Cabos e Soldados da Polícia Militar e Bombeiro Militar de Mato Grosso do Sul), Edmar Soares da Silva, foi reeleito para o quadriênio 2014-2017. Em eleição disputada nesta sexta-feira (28), ele obteve 59,81% dos votos válidos (908 votos), contra 30,2% (459) da chapa encabeçada pelo candidato André Lúcio, e 9,9% (151) da chapa liderada por Cláudio Souza, atual vice-presidente da entidade.

A votação ocorreu entre 7e 16 horas, em 22 seções espalhadas na Capital e no interior do Estado. A apuração foi concluída às 19h45. Ao todo, compareceram para o pleito 51% dos 2.972 associados aptos a votarem. Edmar foi o vencedor em 20 seções, sendo derrotado somente em Dourados e Três Lagoas, cidades onde André Lúcio levou vantagem.

“É um resultado que reflete o trabalho bem-feito que fizemos, voltado para atender todos os servidores militares, mas, principalmente, nosso associado”, comemorou Edmar, que acompanhou a apuração em sua residência.

Edmar elenca uma série de conquistas durante seu mandato. No âmbito profissional, ele orgulha-se de ter encabeçado um histórico aquartelamento em 2013 que conseguiu, entre outras melhorias, reajuste de 43% para o soldado no período de um ano e sete meses, 35% para o cabo e 30% para sargento e subtenente, conforme tabela que começa a vigorar em dezembro deste ano. Além disso, desde que assumiu a entidade, em março de 2010, mais de 2 mil praças da Polícia Militar foram promovidos.

O trabalho a frente da ACS ainda proporcionou leis que beneficiam diretamente os policiais mais antigos, como a lei complementar 157/11, que criou a modalidade de promoção por tempo de serviço, e a retomada da luta pela PEC 300 – Edmar liderou a ocupação da Câmara dos Deputados, no ano passado, que tentou agilizar a tramitação da proposta que cria um piso salarial nacional para policiais e bombeiros.

No campo social, Edmar renovou a frota da entidade, revitalizou o Hotel de Trânsito e ainda barrou as seguidas reeleições na ACS. Agora, com a mudança no estatuto, o presidente tem mandado de quatro anos, com apenas uma reeleição. “Não queríamos que alguém se perpetuasse no cargo. Entendo que dois mandatos são suficientes para se fazer uma boa administração”, disse.

O atual presidente ainda investiu na Associação e adquiriu, na saída de Campo Grande para São Paulo (SP), uma área de 3,5 hectares, onde está sendo construído o clube de campo da entidade. O espaço tem campos de futebol, piscinas, quiosques, um tanque para pesca e alojamentos que servirão como extensão do Hotel de Trânsito. “Era um sonho antigo dos associados, principalmente os da Capital”, lembra. As Regionais também receberam forte investimento da atual gestão.

O presidente garante ainda que, nos próximos quatro anos, vai lutar pela carreira única na Polícia Militar e Corpo de Bombeiros, retorno da licença especial, implantação do serviço extraordinário remunerado, redução do interstício para promoção à graduação de cabo, entre outros.

Eleitos - Mário Sérgio Flores do Couto foi eleito para a presidência do Conselho Fiscal, órgão responsável por fiscalizar as finanças da entidade. Ainda foram eleitos os seguintes diretores regionais: Laércio Giroto de Souza (Aquidauana), Diego Cristaldo (Bataguassu), Adamor Abreu Filho (Corumbá), Valdiney Fernandes (Coxim), Aparecido Lima (Dourados), André Martins (Fátima do Sul), Mário Sérgio Leite (Jardim), Daniel Rabello (Naviraí), Máximo Jeleznhak (Nova Andradina), Marco Benites (Paranaíba), Rodrigo da Costa (Ponta Porã), e Gislomar da Silva (Três Lagoas).

A solenidade de posse da nova diretoria está marcada para o próximo dia 14 de março, às 8h30, na sede da Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul), em Campo Grande.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.