Publicado em 28/03/2014 às 11:52, Atualizado em 26/04/2017 às 08:54

Depois de cinco anos, coronel David deixa Comando-Geral da PMMS

A solenidade está na segunda-feira (31), às 8 horas, no Palácio Tiradentes

, Assessoria de Imprensa

Há quase cinco anos à frente da PMMS (Polícia Militar de Mato Grosso do Sul), o coronel Carlos Alberto David dos Santos passa o Comando-Geral da instituição para o coronel Valter Godoy Rojas. A solenidade está na segunda-feira, (31), às 8 horas, no Palácio Tiradentes, localizado no Parque dos Poderes – região nordeste de Campo Grande. 

A saída será marcada por formatura militar, na qual o coronel David irá se despedir da tropa, na presença de amigos e familiares. A solenidade inclui desfile da tropa, de integrantes dos projetos sociais da PMMS e homenagens. O comandante-geral deixa o cargo por ter concluído seu tempo de serviço, sendo 30 anos de trabalho na Polícia Militar, na defesa do cidadão e da cidadã. Já o coronel Godoy ,depois de chefiar o Gabinete de Gestão Integrada de Fronteira (GGI-Fron), assume o comando com a missão de continuar a busca por melhores condições de trabalho, mais valorização para o policial militar, modernização e ampliação de estrutura e, estreitar ainda mais os laços com a comunidade para perpetuar a filosofia de Polícia Comunitária 

Avanços 

A gestão do coronel David foi marcada por avanços no tripé de prioridades erguido para sua administração: estrutura, valorização e capacitação profissional e Polícia Comunitária. 

Em relação à estrutura, a gestão acumula reformas de unidades, aquisição de mais de mil viaturas, cerca de cinco mil armas de fogo, além de coletes balísticos e outros equipamentos de proteção, fardamento e dispositivos de informática. “O atual governo foi o que mais investiu em segurança pública e fez com que tivéssemos a oportunidade de melhorar sensivelmente nossa estrutura. Foram milhões de reais revertidos para um melhor atendimento à população”, disse o coronel David. 

Destaque também para a valorização do policial militar. Ao todo foram formados, habilitados e capacitados quase seis mil PMs. Cerca de dois mil policiais militares – entre praças e oficiais foram promovidos. A reestruturação, com a criação de três batalhões e uma companhia independente, otimizou e especializou mais o serviço, além de ter oportunizado a ampliação do quadro e a regularização das promoções. 

Gestão Compartilhada  

O foco principal foi a consolidação da filosofia de Polícia Comunitária. O estreitamento da relação com moradores e moradoras levou à crescente conscientização da necessidade de gestão compartilhada de segurança. Foram mais de duas mil operações, incluindo ocupações e pacificação de bairros da Capital e do interior. A maioria com apoio da população que ajudou a PM a se munir de informações. “Ninguém melhor que a comunidade conhece suas necessidades. 

Procuramos estreitar esses laços para aumentar a confiança das pessoas na Polícia Militar. O PM faz parte da comunidade e trabalha incansavelmente para protegê-la”, justificou o coronel David. 

Exemplos de sucesso dessa parceria são as ações voltadas para os setores de transporte urbano coletivo e táxi e, a já tradicional operação Fim de Ano feita em parceria com o comércio de todo Estado. 

“Com todas essas ações, resultado de um plano de gestão, conseguimos transformar nosso Estado e nossa Capital num dos mais seguros do país. Chego ao fim do caminho como comandante-geral com a sensação do dever cumprido, mas com vontade de fazer muito mais, porque sei que ainda temos muito que caminhar. Deixo o Comando da PM, na certeza de que o fizemos o melhor e que esse trabalho irá continuar”, finalizou.