Buscar

Força Tática descobre célula criminosa suspeita de agir em furtos a agências dos Correios

Suposto mentor dos crimes apontado pela polícia como ‘cabeça’ da organização foi detido na companhia de mais outros 4 suspeitos

Em mais uma ação precisa na repressão à criminalidade em Nova Andradina, a Força Tática desarticulou uma célula criminosa suspeita em agir em furtos a agências dos Correios na região. Quatro alvos em cidades distintas serão investigados a partir da prisão do suposto mentor dos crimes tirado de circulação na última semana.

Segundo as informações exclusivas a que o Nova News teve acesso, P.R.S.J., vulgo “Japonês”, de 22 anos, é apontado pela polícia como o ‘cabeça’ da organização foi detido na companhia de mais outros quatro suspeitos na operação deflagrada na última quinta-feira (10) pelos policiais da Força Tática.

Cb image default
Comandante diz que ação aconteceu devido ao mapeamento dos suspeitos – Foto: Luciene Carvalho/Nova News

O alvo da operação, pelo apurado, foi uma residência no Bairro Argemiro Ortega, mais precisamente na Rua Sérgio Tibúrcio dos Santos. Conforme detalhou à reportagem o teor da operação, o comandante da Força Tática, capitão Nelson Vieira Tolotti, afirmou que o local indica ser um ponto de apoio para organizações criminosas, além de ser anteriormente alvo de intervenções policiais com a prisão de suspeitos de roubo e de ligação com o tráfico de drogas ao ser usado como ainda ‘boca de fumo’, bem como ainda depósito de produtos furtados.

Cb image default
P.R.S.J. (22), é, segundo a polícia, o ‘cabeça’ do bando; E.S.S. (18), também foi detido – Foto: Nova News

 “Trabalhando com o mapeamento de informações que chegaram à central do Serviço de Inteligência do 8º BPM (Batalhão de Polícia Militar), a Força Tática passou a trabalhar no caso e chegou aos suspeitos. Após uma denúncia anônima, a operação ocorreu no mesmo dia de um roubo em Batayporã em que a vítima foi baleada pelos assaltantes. No local, encontramos diversas ferramentas industriais tipicamente utilizadas para furtos a cofres como os semelhantes nos casos de duas agências dos Correios furtadas e outras duas tentadas”, disse o capitão ao lembrar que os furtos consumados ocorreram em Anaurilândia, totalizando um prejuízo de R$ 190 mil, e em Angélica, mais R$ 160 mil. Já as tentativas sem êxito impedidas pela PM ocorreram em Nova Andradina e Bataguassu.

Ao colher mais informações do teor da ação policial, o Nova News apurou um dos detidos chegou a informar sobre o planejamento de um furto que seria realizado em uma agência do município de Coxim e confessou de fato que as ferramentas era para a prática de furtos a cofres de unidades bancárias e dos Correios no Estado.

Cb image default
Polícia diz que local alvo da operação indica ser um ponto de apoio para organizações criminosas – Foto: Nova News

Ainda no local a Força Tática encontrou objetos furtados em que um adolescente, de 17 anos, já bastante conhecido pela polícia, assumiu ser de sua propriedade e de “Japonês” que morava com ele na casa. Entre os objetos estão quatro aparelhos celulares, quatro relógios, duas correntes, entre outros.

Além de “Japonês”, os policiais encontraram no local E.S.S., de 18 anos, além ainda de três adolescentes de 14, 15 e 17, que todos foram conduzidos à 1ª Delegacia de Polícia Civil e se encontram à disposição da Polícia Federal que é a responsável pela investigação do caso pelos Correios ser de domínio federal. A operação também foi conjunta com a SIG (Seção de Investigações Gerais) da PC de Nova Andradina.

Cb image default
Discos de corte e outras ferramentas industriais foram apreendidos na casa - Foto: Nova News

Assunto de destaque de uma matéria recente no Nova News após a tentativa de furto na agência dos Correios de Nova Andradina, pistas deixadas no local do crime reforçam a tese que mulheres podem estar envolvidas no crime. De acordo com o capitão, roupas e acessórios femininos encontrados na residência são um indicativo do envolvimento de criminosas nas ações.

Para o capitão Vieira, o êxito da operação é resultado de um trabalho em conjunto com a sociedade que busca os canais de informação da Polícia Militar para denunciar alguma prática ilícita. “Se alcançamos o resultado esperado em uma operação é devido à cooperação dos cidadãos de bem que andam de lado a lado com a polícia. Nós não trabalhamos sozinhos, e a repressão à criminalidade só surte efeito se a sociedade se junta a nós em uma causa que é de todos nós que é a segurança pública da cidade onde moramos”, pontuou o comandante.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.