Buscar

Meninas de Nova Andradina também são vítimas de difamação tendo imagens espalhadas na internet

Fotos e vídeos com citações de cunho sexual sobre as garotas estão sendo postados em redes sociais

Imagem: Ilustração / EBC

Cb image default

Conforme já noticiado pelo Nova News, nos últimos dias, fotos e vídeos de garotas menores de 18 anos, residentes em Mato Grosso do Sul, estão circulando nas redes sociais com títulos ofensivos e com frases que acabam por denegrir a reputação das meninas. Em alguns casos elas estão sendo chamadas de "marmitas" nas postagens.

Nova Andradina

Na tarde desta quinta-feira (10), pelo menos quatro adolescentes, acompanhadas de familiares, compareceram na 1ª Delegacia de Polícia de Nova Andradina para registrar boletins de ocorrência. Segundo a Polícia Civil todas elas tiveram imagens copiadas de suas redes sociais e republicadas juntamente com frases de cunho sexual, difamando desta forma a reputação das garotas.

O delegado Rafael Carvalho disse ao Nova News que quatro adolescentes procuraram as autoridades, mas que certamente o número de vítimas pode ser bem maior. “Pelo que apuramos, isso está virando uma espécie de ‘moda’ em Mato Grosso do Sul. Creio que mais casos devem ser registrados nos próximos dias”, explicou o policial, ao afirmar que todas as ocorrências serão investigadas.

Batayporã

Também nesta quinta-feira (10), o Nova News apurou que em Batayporã casos semelhantes já foram comunicados à Polícia Civil. Segundo o delegado Filipe Davanso Mendonça, todos os meios necessários serão empregados para identificar quem estaria editando e colocando as imagens nas redes sociais. Ele também alertou que todas as pessoas que compartilham as fotos e vídeos responderão criminalmente.

“Tanto a pessoa que criou as imagens quanto todos que as divulgarem responderão pelo crime de difamação, sendo que a pena é três meses a um ano de detenção”, explicou o delegado.

Bandeirantes*

Segundo o Jornal Midiamax, vídeos de cerca de 20 meninas menores de idade, moradoras de Bandeirantes, circularam nos últimos dias na cidade, com a intitulação “as marmitas de Bandeirantes”. As vítimas têm de 14 a 18 anos.

O fato gerou indignação por parte das famílias, que procuraram a delegacia nesta quarta-feira (09). Os vídeos não são íntimos, de acordo com uma das mães, que preferiu não se identificar. São imagens em que elas publicam normalmente nas redes sociais, mas que estão sendo usadas com outro intuito.

Os suspeitos, de acordo com outra mãe, querem difamar as meninas. “Estão chamando nossas filhas de comida, espalhando e compartilhando isso nas redes sociais”, relatou. “Estas publicações estão virando modinha em Mato Grosso do Sul e então nós mães vamos nos unir para fazer uma campanha de conscientização, porque é crime”, afirma.

Até agora, em Bandeirantes, sete vítimas registraram boletim de ocorrência, mas de acordo com as mães, vídeos de cerca de 20 meninas da cidade estão circulando em grupos de Whatsapp e em stories de redes sociais.

Ribas do Rio Pardo*

Mais um caso de vídeos de adolescentes espalhados em redes sociais, Facebook, e distribuído também por Whatsapp virou caso de polícia. O fato agora aconteceu na cidade de Ribas do Rio Pardo. Desta vez dois rapazes foram detidos e dois adolescentes apreendidos – entre eles uma garota.

Informações passadas pela Polícia Civil são de que uma adolescente teria criado um vídeo que denegria a imagem de várias meninas da cidade e espalhado no Facebook, sendo que outro adolescente teria compartilhado as imagens em grupos de Whatspp.

Os rapazes de, 18 e 12 anos, teriam feito comentários ofensivos as meninas que estavam sendo difamadas no vídeo postado na rede social pela garota. Em um dos comentários, um dos jovens dizia que todas as meninas do vídeo seriam ‘marmitas’ e que quem criou o vídeo deveria ganhar um prêmio.

Já outro comentário falava qualificava as vítimas como ‘marmitex’. O vídeo acabou se espalhando com rapidez parando em grupos de outras cidades, Campo Grande, Três Lagoas e Água Clara. Ao todo 11 meninas são difamadas no vídeo. (*Com informações do Midiamax).

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.