Buscar

Homem de 33 anos se apresenta na DP  de Rosana e assume assassinato de PM

O pedreiro Juliano da Silva se apresentou na manhã desta terça-feira (12) acompanhado de seu advogado

Na manhã desta terça-feira (12), um pedreiro de 31 anos, identificado como Juliano da Silva, se apresentou na Delegacia de Polícia Civil de Rosana (SP), acompanhado de seu advogado, e assumiu a autoria do assassinato do policial militar Paulo Henrique Fagundes dos Reis Bazílio, ocorrido no último domingo (10), durante uma abordagem policial naquele município.

De acordo com o delegado de Rosana, Adilson de Carvalho, que investiga o caso, Juliano confessou o crime e disse que permaneceu escondido na zona rural do município. De acordo com declaração do acusado, a arma usada no crime, um revólver calibre .38, foi jogada nas águas do Rio Paraná. Durante depoimento, o autor contou que no momento da abordagem ficou com medo e efetuou dois disparos enquanto corria. O homem contou que só ficou sabendo da morte do policial depois.

Soldado Paulo Henrique Fagundes dos Reis Basílio foi assassinado com um tiro na cabeça (Imagem: Divulgação/PM-SP)

Na tarde desta segunda-feira (11), a Justiça de São Paulo já havia decretado a prisão temporária de Juliano da Silva. Em contato com a Delegacia Civil de Rosana, o Nova News foi informado de que o autor confesso foi encaminhado para a Cadeia de Presidente Venceslau (SP). Todo o inquérito policial será feito através da Delegacia de Rosana.

Após o crime, informações davam conta de que o autor teria se escondido em propriedades rurais que ficam localizadas em Mato Grosso do Sul, fato que mobilizou principalmente as forças policiais da cidade de Batayporã, um dos municípios que fazem divisa com o Estado de São Paulo. Esse dado foi refutado por algumas autoridades policiais. 

De acordo com dados da Polícia Militar de SP, o homem já respondia por homicídio e tinha condenação total de 22 anos, dois meses e 21 dias, com término previsto para 1º de maio de 2029. O pedreiro estava em benefício do regime aberto e havia sido colocado em liberdade do Centro de Progressão Penitenciária (CPP) de Pacaembu (SP), no dia 23 de março de 2015.

O caso

Na manhã deste domingo (10), um policial militar da cidade de Rosana (SP), foi assassinado com um tiro na cabeça por dois homens armados. De acordo com informações levantadas pelo Nova News, o policial chegou a ser resgatado, mas acabou morrendo a caminho do hospital. O soldado foi identificado como Paulo Henrique Fagundes dos Reis Basílio.

Saiba mais
  • Policial Militar da cidade de Rosana é morto a tiros

De acordo com o registro policial, Paulo Henrique e mais um policial deram voz de parada a dois homens que seguiam em uma motocicleta. Durante a abordagem um deles teria sacado a arma e disparado contra o militar. Uma bala acabou atingindo a cabeça do soldado. 

 

Após o crime, os autores empreenderam fuga em meio a uma mata existente nas proximidades do Balneário Municipal. A PM informou que o soldado Paulo Henrique atuava no 42º Batalhão de Polícia Militar. Ele estava trabalhando em Rosana após ser transferido recentemente, mas morava em Presidente Venceslau (SP). 

(Com informações do G1 de Presidente Prudente)

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.