Buscar

Menina de 3 anos morre após fazer canal e receber overdose de anestésicos do dentista

Uma família do Hawaii processou um dentista por ter feito um tratamento de canal inacreditavelmente mal feito, deixando uma garotinha de 3 anos de idade com morte cerebral.

A ação movida pela família Boyle contra a Island Dentistry, em Honolulu, alega que o procedimento matou Finley Boyle e o local não estava preparado para emergências. A garota teria ficado 26 minutos na cadeira para realizar um canal de raiz múltipla.

A criança "teve uma parada respiratória e cardíaca devido a uma overdose dado a ela durante o seu tratamento", escreveu a família de Finley.

O episódio bloqueou o suprimento de oxigênio para o cérebro, resultando em "uma imensa quantidade de danos cerebrais", segundo a família.

O processo alega que os dentistas administraram cinco sedativos diferentes para Finley, sem dar a devida atenção à forma como as drogas interagiam. Quando a gravidade do erro estava colocando em risco sua sobrevivência, nada foi feito de imediato pelo despreparo e o dentista teria saído correndo pelos corredores procurando um pediatra.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.