Buscar

Nova Andradina - Homem acusado de agredir ex-mulher dá sua versão dos fatos

Caso ocorreu na madrugada deste sábado (16)

Imagem: Arquivo / Nova News

Cb image default

Na manhã deste sábado (16), em contato com o Nova News, o jovem de 28 anos, acusado de agredir sua ex-companheira, uma mulher de 30 anos, foi ouvido pela reportagem e deu sua versão dos fatos. Nas palavras dele, o desentendimento entre eles, de fato, ocorreu, porém, em circunstâncias até então não reveladas.

O homem disse que, nesta sexta-feira (15), recebeu uma ligação da ex-mulher, informando que ela sairia de casa e deixaria os dois filhos que ambos tiveram em comum, de 03 e 06 anos, aos cuidados de uma babá. Por volta das 22h, a mulher teria ligado novamente para ele, afirmando que a babá não havia comparecido e que, como ela precisava sair, ele deveria ir até lá para cuidar das crianças.

Por sua vez, como o homem estaria com alguns trabalhos de mídia para fazer em casa, ele preferiu ir até a residência da ex-companheira para buscar as crianças, o que foi feito. Nas palavras dele, por volta das 02h deste sábado (16), a mulher telefonou para ele dizendo que estava chegando em casa e que ele já poderia ir lá deixar as crianças.

Segundo o relato do homem, antes mesmo de sair de sua casa com os filhos, ele recebeu um novo contato dela, no qual ela dizia ter se envolvido em um acidente de trânsito. O ex-marido então foi até o local e constatou que a mulher, de fato, havia se acidentado. “Ela bateu um Fiat Uno que pertence a mim e que estava cedido para ela em um Toyota Corolla, ocupado por um casal e uma criança de cerca de um ano”, disse ele.

“Quando cheguei, ela estava fora do Uno, totalmente embriagada, exalando cheiro de álcool. Dentro do carro havia copos sujos de bebida. Eu tinha viagem marcada nas próximas horas e jamais deixaria meus filhos aos cuidados dela naquele estado. Pedi mais de 20 vezes para que ela ligasse para os pais dela, mas ela não quis. Então liguei para meu pai ir até lá. Também liguei no 190, mas os policiais disseram que, como o acidente não havia resultado em vítimas, eles não poderiam se deslocar até o endereço”, afirma ele.

O homem afirma que durante uma discussão com ela, ocorreu a agressão. “Os ânimos se exaltaram, perdi a cabeça e acabou acontecendo o que não deveria acontecer. Foi uma agressão única. Após o fato, ai ela ligou para os pais dela, para a Polícia Militar e para o Corpo de Bombeiros. Como meu pai já havia chegado ao local, deixei as crianças com ele, e resolvi me ausentar naquele momento para evitar mais problemas, uma vez que eu ainda estava muito nervoso”, revelou.

“Sei que o que fiz foi errado, mas gostaria que a opinião pública soubesse também o que ela fez para que não pareça que eu sou ‘o vilão’ e que ela é ‘a vítima’. Na minha opinião nós dois temos culpa. Uma série de fatores colaboraram para o ocorrido e gostaria que as autoridades apurassem os fatos por todos os ângulos”, finalizou.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.