Buscar

Paranhos - Testemunha de atentado contra prefeito é executada por pistoleiro ao sair de delegacia

Autor usou arma de grosso calibre

Imagens: Reprodução

Cb image default

Testemunha do atentado contra o prefeito de Paranhos na última quinta-feira (17), Jomar Lemes foi executado por pistoleiro na tarde deste domingo (17), minutos depois de sair da delegacia da cidade. A principal linha de investigação é de que exista ligação entre os crimes.

De acordo com informações da polícia, minutos antes de morrer o rapaz prestou depoimento sobre a tentativa de execução do prefeito Dirceu Bettoni (PSDB). Depois de ser ouvido ele deixou o local e quando seguia para casa, foi abordado por atirador que estava em um automóvel.

A execução aconteceu em frente a praça central da cidade e no local, a polícia encontrou 37 cápsulas de munição de pistola nove milímetros e oito de ponto quarenta. 

A vítima não resistiu aos ferimentos e morreu no local antes que o socorro pudesse ser acionado. Os documentos encontrados com Jomar eram de origem paraguaia.

Atentado

Na noite deste sábado (16), pistoleiro de 26 anos foi preso e confessou que recebeu R$ 20 mil para matar Dirceu Bettoni. O delegado responsável pelo caso revelou que o mandante seria um brasileiro que vive no Paraguai. O prefeito tucano foi alvo de atentado enquanto chegava em casa em sua caminhonete na última quinta-feira. Ele foi atingido por tiros no maxilar, pescoço, ombro e abdômen. Ele foi socorrido pelo vice-prefeito da cidade e por familiares que escutaram os disparos e levado para o Hospital Municipal Nossa Senhora Conceição.

Prisão

A Polícia Civil prendeu os suspeitos pela tentativa de assassinato do prefeito de Paranhos, Dirceu Bettoni (PSDB), que sofreu um atentado a tiros enquanto chegava em casa na última quinta-feira (14). Um homem e sua esposa estão sendo responsabilizados pelo caso.

Cb image default

O casal, identificado como Gabriel Queiroz, 26 anos, e Djuly Priscilla Couto, 28 anos, foi preso na BR-163, em Rio Brilhante, enquanto vinha para Campo Grande. A Polícia chegou ao grupo após ter encontrado o homem que vendeu a motocicleta para o pistoleiro, que entregou a dupla. Em relato aos policiais, o autor dos disparos confessou que teria recebido R$ 20 mil de um homem identificado apenas como um brasileiro que vive no Paraguai para executar o crime.

A Polícia informou que não irá revelar a identidade do mandante para não haver prejuízo às investigações. Há suspeita de que a esposa do pistoleiro tenha dado cobertura ao crime, porém a mulher nega. A moto utilizada pelo casal no crime foi encontrada pela Polícia ainda na quinta-feira, a poucas quadras da casa do prefeito de Paranhos. (Matéria editada às 08h25 de 18/06/2018 para atualização de informações).

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.