Publicado em 06/02/2019 às 14:58, Atualizado em 06/02/2019 às 18:13

PF vai analisar se presos durante a “Inocência Violada” mantinham ‘grupos específicos’ no WhatsApp

Operação foi deflagrada na manhã desta quarta-feira (06)

Bárbara Ballestero, Redação Nova News

Foto: G1 MS

Cb image default

Além de analisar, a PF vai verificar se os suspeitos de armazenar e compartilhar pornografia infantil mantinham “grupos específicos” no WhatsApp.

Esta será a próxima fase da operação “Inocência Violada, deflagrada nesta quarta-feira (06), segundo o delegado Fernando Rocha.

De acordo com o G1 MS, os presos eram monitorados há 10 meses e foram identificados como: um militar da reserva da marinha, de 65 anos, um comerciante de 40, um assistente de serviços gerais de 29 anos e um servidor público estadual, de 49 anos. Outro suspeito foi preso no decorrer das investigações.

Ainda não há informações sobre a quantidade exata de material pornográfico encontrado.

(*Com informações do G1 MS)