Buscar

Polícia Civil elucida e recupera lote de 33 novilhas furtadas em Ivinhema

Animais foram avaliados em quase R$ 60 mil e estavam em uma propriedade na cidade de Eldorado, a 200 km de Ivinhema

Um lote de 33 novilhas foi recuperado pela Polícia Civil após a elucidação de um furto cerca de três dias antes. A vítima procurou a delegacia na última terça-feira (27) e comunicou o crime ocorrido em uma propriedade rural do município.

Segundo as informações do site Ivi Notícias, a Polícia Civil imediatamente iniciou às investigações e apurou que os animais haviam sido retirados do local por uma propriedade vizinha e, bem como ainda, conseguiu detalhes sobre o momento do embarque do gado e identificar o caminhão que tinha feito o transporte.

O delegado Ricardo Cavagna, responsável pela investigação, deu maiores detalhes sobre o caso. "Logo após o registro da ocorrência iniciamos as investigações e obtivemos sucesso em elucidar os detalhes desse abigeato, como é chamado o furto de gado que é uma espécie de furto com pena majorada. Com a informação sobre o local do embarque e o caminhão que fez o transporte do gado subtraído, chegamos ao suspeito. Embora tenha negado em um primeiro momento, após algum tempo de conversa, acabou confessando e informando onde estava o gado", disse o delegado ao site.

Cb image default
Suspeito utilizou uma nota fiscal de venda emitida por um amigo para o transporte - Foto: Ivinoticias/PC

Os animais foram avaliados em quase R$ 60 mil e estavam em uma propriedade na cidade de Eldorado, a 200 km de Ivinhema. Também foi apurado que para o transporte, o acusado tinha se utilizado de uma nota fiscal de venda emitida por um amigo.

"Fomos até o local onde estava o gado e apreendemos todos os animais, e ontem mesmo trouxemos de volta e os restituímos ao seu proprietário. Como o acusado utilizou-se de uma nota fiscal ideologicamente falsa para o transporte do gado furtado, já que tal nota fiscal referiu-se a uma venda que não ocorreu, além do abigeato, foi indiciado pelo crime de falsidade ideológica", finalizou o delegado.

Como não foi preso em flagrante, o homem irá responder pelos crimes em liberdade, e pode ser condenado a pena de até 10 anos de reclusão, pela prática dos crimes de abigeato e falsidade ideológica. (com informações do site Ivi Notícias)

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.