Buscar

Polícia Civil identifica e prende acusados de integrar quadrilha de assaltantes

Dos quatros, três dos suspeitos são de Nova Andradina; o quarto é da cidade de Angélica

A Polícia Civil de Nova Andradina, em uma ação integrada com a Delegacia de Polícia de Angélica e o Departamento de Operações de Fronteira (DOF) de Dourados, conseguiu identificar e prender em flagrante quatro acusados de integrar uma quadrilha de assaltantes de veículos. Entre os presos estão L.S.C., o “Peo”, de 20 anos, G.D.A., de 21 anos, M.D.T.M., de 20 anos, e J.M.R.S., de 29 anos.

Segundo as informações a que o Nova News teve acesso, a ação criminosa foi descoberta quando a vítima, um motorista de Curitiba (PR), ainda se encontrava sob cárcere privado, tendo sua liberdade restringida, sob a mira de revólveres, mantido amarrado e vendado na zona rural, às margens da MS-276, na entrada do Pesqueiro São Rafael, sentido à cidade de Ivinhema.

A polícia elucidou que para atrair a vítima os autores planejaram a execução do crime se utilizando de uma modalidade conhecida por “falso frete”, que consiste na contratação dos serviços prestados por caminhoneiros, no caso específico, com o pretexto de ser levada uma mudança de Nova Andradina para Londrina (PR).

O motorista vitimado estava em Ourinhos (SP) quando da contratação e ao chegar em Nova Andradina, na manhã dessa quinta-feira (1º), procurou pela pessoa que o contratou e próximo ao Hospital Regional, no Bairro Durval Andrade Filho (Morada do Sol). Ele foi rendido pelos assaltantes, que usaram de ameaça e violência para colocá lo em um veículo VW/Gol, de cor vermelha, no qual foi transportado até o cativeiro em um matagal previamente preparado (vegetação limpa), destinada à permanência temporária de pessoa.

Cb image default
Acusados presos teriam planejado roubo do caminhão da vítima através da ação conhecida como 'falso frete' - Foto: Divulgação/PC

Conforme apurado pela Polícia Civil, a vítima foi libertada cerca de sete horas depois de ser rendido ao ficar com mãos amarradas e vendado por uma camiseta. Após liberto, o motorista caminhou até a margem da rodovia, onde recebeu ajuda de testemunhas que o socorreram trazendo-o até a 1ª Delegacia de Polícia de Nova Andradina. Ele recebeu assistência e cuidados pessoais, além de relatar e prestar as informações necessárias à elucidação do crime.

De acordo com a nota à imprensa, a Polícia Civil de Angélica já havia identificado dois envolvidos no crime, um deles que seria o motorista contratado pelo bando, e o segundo para exercer o papel de filho da pessoa fictícia que contratou o frete, sendo o acusado conhecido pela alcunha de “Peo”.

Quanto aos demais integrantes do bando, a informação é que os mesmos se encontravam em Nova Andradina e executaram o roubo propriamente dito, após constatarem que o motorista chegava à cidade acreditando estar realizando mais um serviço regular.

A partir das evidências e características do veículo tomado no assalto, fornecidas pela vítima, recém liberta, a Polícia Civil divulgou às demais forças policiais o caso em andamento que ocorria em Nova Andradina, sendo que um das equipes do DOF, que fazia barreiras na rodovia de ligação Ivinhema à Naviraí, na MS-142, recebeu as informações e se deparou com o caminhão roubado.

Na tentativa de abordagem, dois ocupantes desembarcaram rapidamente e fugiram embrenhando-se no mato e aproveitando-se da escuridão noturna não foram encontrados, mas deixaram o caminhão roubado para trás. Um grupo de três indivíduos acompanhavam o caminhão em um veículo Fiat/Linea, com placas de Sinop (MT), cujos indivíduos foram identificados como G.D.A., de 21 anos, M.D.T.M., de 20 anos, e J.M.R.S., de 29 anos, sendo oriundos de Nova Andradina e com passagens pela polícia e condenações criminais. A missão deles era buscar os dois ocupantes do caminhão roubado depois de entregue no seu destino, a cidade de Mundo Novo, na divisa com o Paraguai.

Todos foram reconhecidos e apontados como integrantes da quadrilha, com funções e tarefas distintas e compartilhamento de informações, pois foram eles quem receberam os integrantes de Angélica, transportaram a vítima rendida ao lugar do cativeiro, todos confessos cada um com sua participação individualizada.

Ante às evidências, quatro dos cinco envolvidos foram autuados em flagrante, sendo que um deles, M.A.M., não restou dúvidas que tinha o pleno conhecimento do papel criminoso que iria desempenhar no cenário planejado pela organização criminosa. Outros dois autores já foram identificados como “Kiko” e “Liderança”, o primeiro foi quem ajudou a render o motorista com emprego de arma de fogo e o segundo quem orquestrou o planejamento e execução do crime, mas ambos não foram encontrados pelos investigadores criminais até o fechamento da prisão em flagrante do grupo criminoso.

Como as evidências são latentes recaindo sobre eles, o delegado regional, André Luiz Novelli Lopes, disse na nota à imprensa que foi representada pela prisão preventiva os acusados junto ao Juízo Criminal da Comarca, que deverá apreciar o pedido juntamente com o auto de prisão elaborado durante toda a noite na unidade policial. Os quatro presos foram autuados em flagrante delito pela prática de roubo triplamente qualificado, os quais serão apresentados em audiência de custódia e posteriormente recambiados ao presídio de Nova Andradina.  

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.