Buscar

Polícia identifica homem encontrado morto e autor de atropelamento se apresenta

Delegado confirmou à reportagem que vítima trata-se de Valter Correa dos Santos, de 37 anos, e um administrador de fazenda, de 51 anos, confessou o atropelamento

Resta apenas um último procedimento para a confirmação final da identidade do homem encontrado morto na madrugada desse domingo (8). Com exclusividade, o Nova News teve acesso à informação que a vítima trata-se de Valter Correa dos Santos, de 37 anos, e que o autor do atropelamento se apresentou hoje pela manhã na 1ª Delegacia de Polícia Civil.

Conforme explicou à reportagem o delegado regional e chefe da SIG (Seção de Investigações Gerais), André Luiz Novelli Lopes, a identificação do corpo aconteceu após buscas no banco de dados da delegacia em que um procedimento do ano de 2010, envolvendo a vítima, foi encontrado. “Com os dados obtidos, descobrimos o documento de identificação da vítima que é natural de São Paulo (SP)”, explana a autoridade policial.

O próximo passo, segundo Novelli, será realizar a individual dactiloscópica , que é o processo de cruzamento das impressões digitais no banco nacional com as colhidas durante o exame necroscópico. “A vítima está identificada e depende apenas desta confirmação para termos 100% de confirmação. Até lá, o corpo segue no IML (Instituto Médico Legal)”, afirma o delegado ao falar que as buscas também se concentram em encontrar algum familiar da vítima.

Cb image default
Bombeiros chegaram a ser acionados e já encontraram a vítima sem vida após o atropelamento na MS-473 - Foto: Nova News

Autor se apresentou na delegacia

Um administrador de fazenda, de 51 anos, morador de Nova Andradina, assumiu à polícia na manhã desta segunda-feira (9) ser o autor do atropelamento que vitimou Valter Correa dos Santos. Ouvido pelo delegado Luiz Quirino Antunes Gago, ele deu detalhes de como ocorreu o acidente.

Conduzindo uma Toyota Hilux, o homem conta que seguia pela MS-473 atrás de outra caminhonete dirigida pela esposa. Devido à poeira, o autor relatou que a visibilidade ficou prejudicada quando foi surpreendido pelo ciclista que, segundo ele, teria entrado na frente do veículo sem tempo de desviar.

“Conforme a versão apresentada, o autor chegou a frear, mas não conseguiu evitar a colisão. Ele conta que desceu da caminhonete e, ao ver que a vítima não se mexia, entrou novamente no veículo e com medo fugiu do local sem avisar ninguém o que teria acontecido”, detalhou Quirino ao Nova News ao relatar que o administrador afirmou não estar em velocidade quando ocorreu o atropelamento.

Ainda segundo narrou ao delegado, o condutor disse que o homem estaria supostamente andando em zigue-zague com indícios de que estaria embriagado. “Tal informação será confirmada no exame necroscópico a partir do sangue colhido para verificar se de fato havia ou não no álcool no corpo da vítima. Independente da confirmação, o autor foi indiciado por homicídio culposo de trânsito qualificado pela omissão de socorro e irá responder ao processo em liberdade pelo comparecimento espontâneo na delegacia”, afirma o delegado.

O autor conta que desceu da caminhonete e, ao ver que a vítima não se mexia, entrou novamente no veículo e com medo fugiu do local sem avisar ninguém o que teria acontecido

delegado Luiz Quirino Antunes Gago

Em relação a fotos da vítima após a identificação, a Polícia Civil que não há imagens no banco de dados para eventual divulgação até o momento. O caso segue sendo investigado.

Entenda o caso

O corpo de Valter Correa dos Santos, de 37 anos, foi encontrado por volta das 2h desse domino (8), próximo a uma bicicleta danificada, indicando que o mesmo teria sido atropelado e o condutor vindo em seguida a fugir do local.

Populares relataram que duas caminhonetes teriam passado em alta velocidade pelo local pouco antes do corpo ser encontrado. O Corpo de Bombeiros chegou a ir local e após constatar o óbito acionou a Perícia Técnica e a Polícia Civil.

Conforme já noticiado pelo Nova News , a vítima atualmente morava em uma espécie de acampamento em situação precária às margens do Córrego do Baile e trabalhava como catador de recicláveis no lixão da cidade.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.