Buscar

Professor de 56 anos comete suicídio em praça no centro de Angélica

Para prevenir situações como esta existe do Centro de Valorização da Vida (CVV)

Imagem: Portal Angélica

Cb image default

No início da tarde desta quarta-feira (01), na Praça Messias Garcia Duarte, no centro da cidade de Angélica, o professor João Damasceno Filho, de 56 anos, cometeu suicídio com uso de uma arma de fogo. Segundo uma testemunha, Joãozinho, como era conhecido, estava na praça quando, em determinado momento, efetuou o disparo fatal.

Joãozinho foi presidente do Sindicato Municipal dos Trabalhadores em Educação (SIMTED) de Angélica por 12 anos e segundo informações apuradas no local, ele estava com quadro de depressão. A família de João Damasceno Filho é muito conhecida na cidade.

Valorização da vida

O suicídio representa uma parcela expressiva do número de óbitos registrados no Brasil e no mundo e, neste contexto, é considerado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como um problema de saúde pública. Para prevenir estas situações, existe o Centro de Valorização da Vida (CVV).

Fundado em São Paulo, em 1962, o CVV é uma associação civil sem fins lucrativos, filantrópica, reconhecida como de Utilidade Pública Federal, desde 1973. Presta serviço voluntário e gratuito de apoio emocional e prevenção do suicídio para todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo e anonimato.

Os contatos com o CVV são feitos pelos telefones 188 (24h e sem custo de ligação) ou 141 (nos estados da Bahia, Maranhão, Pará e Paraná), pessoalmente (nos 89 postos de atendimento) ou pelo site www.cvv.org.br, por do meio chat e-mail. Nestes canais, são realizados mais de 2 milhões de atendimentos anuais, por aproximadamente 2.400 voluntários, localizados em 19 estados mais o Distrito Federal. (Com informações do Ivi Notícias, Portal Angélica e do CVV).

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.