Buscar

Rapaz aponta simulacro para policiais e acaba morto em Primavera (SP)

Um dos militares efetuou dois disparos contra ele

Imagem: Divulgação / PC

Cb image default

Segundo o G1 Presidente Prudente e Região, um policial militar matou um rapaz de 22 anos na noite deste domingo (03), na zona rural do Distrito de Primavera, em Rosana (SP). O caso foi registrado como homicídio simples – morte decorrente de intervenção policial –, com excludente de ilicitude (quando a pessoa age em legítima defesa).

Segundo a Polícia Civil, policiais militares foram até a residência da vítima duas vezes. Na primeira, eles foram informados – por volta das 18h20 – de que um indivíduo estaria “causando desentendimento com a vizinhança, agindo sob efeito de álcool e droga”.

Ao chegar à casa do rapaz, que morava com o pai, os militares foram recebidos pelo suspeito, que, de forma tranquila, entregou seus documentos e não demonstrou qualquer tipo de alteração.

Mais tarde, por volta das 19h30, os policiais receberam uma nova chamada para voltar à casa do indivíduo, acompanhados dos bombeiros. A informação era de que o rapaz estaria agindo de forma agressiva.

Ao descerem da viatura, eles visualizaram o rapaz vestindo apenas uma bermuda, agachado no portão de entrada do imóvel. Ao questionarem o motivo de estar agressivo e se o pai dele estava presente, os policiais notaram que o jovem estava com um sangramento em um dos braços e que havia uma caneca metálica com marcas de sangue sobre as lajotas que estavam na calçada.

Na ocasião, o rapaz teria dito: “Vocês aqui, de novo?”, e se levantou em direção ao interior da casa. Posteriormente, os militares viram que ele carregava um objeto nas mãos e decidiram acompanhá-lo no ingresso à residência, mas, quando acessou a sala de entrada, o rapaz fechou a porta.

Os policiais optaram por empurrar a porta e entrar no imóvel, momento em que o rapaz “saiu do interior do quarto empunhando, na visão do policial que disparou, uma arma de fogo apontada na direção dos militares”.

Imediatamente, o policial efetuou dois disparos sequenciais que atingiram o rapaz na região do tórax, o qual caiu ao solo. No momento, a arma que ele portava caiu próximo de uma estante da sala.

Em seguida, os bombeiros entraram no local e o socorreram. Neste momento, os militares se aproximaram da arma que estava no solo e constataram que se tratava de um simulacro de arma de fogo confeccionado de metal e fita isolante.

A equipe do Corpo de Bombeiros levou o rapaz até o Hospital Regional de Porto Primavera, mas depois foi informada do óbito. A Polícia Civil esteve na casa da vítima. O pai do rapaz diz nunca ter visto a falsa arma na casa.

A Polícia Civil informou que um inquérito policial padrão já foi instaurado para apuração e elucidação dos fatos e que testemunhas deverão ser ouvidas. (*As informações são do G1).

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.