Buscar

Revólver usado para matar Erlon estava enterrado e já foi recuperado pela polícia

A Defurv (Delegacia Especializada de Furtos e Roubos de Veículos) localizou a arma utilizada no assassinato do empresário Erlon Peterson Pereira Bernal, de 32 anos. É um revólver calibre 38, que estava enterrado, assim como fizeram com o corpo.

A delegada responsável pelo caso, Maria de Lourdes Souza Cano tem até o dia 15 de abril para encerrar o inquérito policial sobre o caso. Ela não detalhou onde localizou a arma para não atrapalhar o andamento dos trabalhos policiais.

Entenda o caso

Erlon foi atraído pela quadrilha no dia 1ª de abril por meio de um anuncio da internet, onde ele havia oferecido um Golf, de cor prata. A vítima se encontrou com um dos suspeitos próximo a uma fábrica de refrigerantes, que fica na saída para São Paulo. O criminoso convenceu o empresário de ir até o Bairro São Jorge da Lagoa – área sudoeste da Capital, para mostrar o carro a uma tia, que seria a nova proprietária. 

No local a vítima percebeu que se tratava de um roubo. Na casa da adolescente, ele foi morto com um tiro na cabeça. O corpo foi arrastado até o quintal e jogado em uma vala, ao lado da fossa. Por cima, foi colocado lixo. Já o carro, foi levado para uma funilaria, onde foi pintado de branco e as placas trocadas. 

De acordo com a Defurv, os envolvidos no crime são: Thiago Henrique Ribeiro, de 21 anos, que trabalha em uma fábrica de refrigerantes na saída para São Paulo, o pedreiro Jeferson dos Santos Souza, de 21 anos, Rafael Diogo, conhecido como “Tartaruga”, de 21 anos, empregado de uma lavanderia de hospital, e o funileiro Athaíde Pereira, de 50 anos. Além de uma adolescente de 17 anos, que teve a identificação preservada, conforme prevê o ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente).

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.