Buscar

Trio é preso após fazer parada em Batayporã com caminhonete tomada em assalto em MG

Suspeitos estavam também com um caminhão Mercedes Benz e um Renault Logan com sinais de adulteração

Bastou apenas uma única atitude suspeita para a Força Tática colocar as mãos em três suspeitos que foram flagrados com uma caminhonete roubada no interior de Minas Gerais. Acompanhando o momento do flagrante, o Nova News teve acesso à informação exclusiva que a Toyota Hilux foi tomada em um assalto ocorrido no último dia 5 na cidade de Uberaba.

Na ação, P.P.J., de 30 anos, F.A.F.J., de 51 anos, e L.A.F.J., vulgo “Gordão”, de 46 anos, foram presos por receptação e adulteração de veículo automotor. Pelo apurado, a operação policial começou por volta das 17h nas proximidades de um posto na MS-134, no município de Bataporã.

Por meio de uma denúncia, a Força Tática foi informada de que três indivíduos em um caminhão Mercedes Benz 1218, do tipo baú, ano 1996/1997 da cor branca e uma Toyota Hilux preta, 2013/2014, estariam parados perguntando por rotas de estradas que levassem ao Estado do Paraná.

Cb image default
O Nova News acompanhou o momento do flagrante ocorrido próximo a um posto na MS-134 - Foto: Nova News

A atitude dos condutores dos dois veículos chamou a atenção de populares que de imediato ligaram para o 190 e informaram o fato e também a localização onde os veículos haviam estacionados. A equipe se deslocou ao local e abordou inicialmente dois suspeitos que estavam parados próximos ao caminhão e que demonstraram excessivo nervosismo diante da presença policial.

Questionados em separado, os suspeitos apresentaram versões diferentes quanto à origem e destino do itinerário, e quanto ao terceiro indivíduo disseram que havia ido ao banheiro do auto posto e ao voltar tentou fugir quando viu a viatura.

Detalhando o motivo da viagem, P.P.J., morador da cidade de Maringá (PR), disse aos policiais que estava indo para a cidade de Naviraí (MS) para vender o caminhão que havia comprado de “Gordão” e disse não os conhecer e que estaria apenas fazendo um ‘negócio’.

Cb image default
Os três suspeitos foram presos por receptação - Foto: Nova News

Já “Gordão”, residente em Promissão (SP), relatou que havia comprado o caminhão junto com P. e que ambos estariam levando o veículo para revender no interior no Estado do Paraná, disse que F. pagaria a ele certa quantia para que levasse o veículo Logan para o interior do Estado do Paraná para que fosse entregue a um possível comprador, relatou também que não conhecia os outros dois e que apenas marcou o negócio pela internet.

F. disse que era proprietário do veículo Logan, que estava dentro do caminhão, e que havia ido há uma semana para a casa de L. para resolver alguns problemas e como seu carro havia apresentado problemas, aproveitou a carona do amigo que já estava de viagem marcada para cidade de Mundo Novo (MS), onde venderia o caminhão, disse ser morador da cidade de Cafezal do Sul-PR e que é amigo do sogro de P., pois reside na mesma cidade.

Diante da evidente possibilidade de ilícito, a equipe vistoriou minuciosamente os veículos, sendo encontrado evidencias nítidas de adulterações nas numerações de chassis de todos eles. A Hilux, cuja propriedade foi reclamada por “Gordão”, apresentou evidente remarcação do numeral do chassi em vários locais, sendo que após a equipe limpar com um tecido o número gravado no próprio chassi, ficou evidente que a numeração havia sido sobreposta por outra, e em checagem àquela foi indicado pelo sistema uma Hilux de Uberlândia-MG, 2012/2013, que havia sido produto de roubo à mão armada no ano 2015, vale lembrar que uma das irregularidades que chamaram a atenção dos policiais foi à placa que indicava sua confecção no ano de 2012, sendo o veículo, conforme documento apresentado, fabricado no ano de 2013, a placa também possuía a sigla GO gravada, indicando ser do Estado de Goiás.

O documento apresentado da Hilux indicava o proprietário ser um morador de Araçatuba (SP), Luís disse ter comprado a caminhonete por intermédio de um amigo e que pagou a quantia de R$ 115 mil.

O veículo Logan e o caminhão apresentaram também sinais de adulteração e ambos apresentaram, após checagem, restrições judiciais. Em revistas aos pertences pessoais dos envolvidos foi encontrado em uma mochila dois walk tok de longa distância. Diante dos fatos, os acusados foram encaminhados à Delegacia de Polícia de Batayporã.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.