Buscar

Lideranças que apostaram em Puccinelli e Azambuja “mudam de lado” para seguir Odilon

Bastidores do cenário político de Nova Andradina mostram reviravolta de lideranças do município

Após a recente passagem do juiz federal aposentado Odilon de Oliveira (PDT) pela região, os bastidores do cenário político de Nova Andradina começaram a mudar de tom com a atitude de algumas lideranças que estão costumeiramente envolvidas nos pleitos eleitorais do município e até do Estado.

Um fato que chama atenção é a migração destes líderes, até então, vistos engajados em campanhas anteriores, como as do ex-governador André Puccinelli (MDB) e até mesmo do atual governador Reinaldo Azambuja (PSDB), já tomando posições a favor do juiz que surge como uma “novidade” na corrida à cadeira do Executivo Estadual.

Cb image default
Em recente visita a Nova Andradina, juiz não hesitou em afirmar que se sente confiante em uma vitória no primeiro turno - Imagem: Arquivo / Luciene Carvalho / Nova News

Um dos exemplos vem do ex-vereador e ex-candidato a prefeito de Nova Andradina na última eleição, Claudinei Brambila, o “Magrelo” (PROS). Ainda em 2014, quando estava filiado ao PSDB, Magrelo foi um dos responsáveis pela coordenação política da campanha do atual governador do Estado em todo o primeiro turno na cidade de Nova Andradina.

Já no segundo turno, quando a disputa se afunilou entre o candidato tucano e o petista Delcídio do Amaral, outros líderes da cidade se juntaram ao grupo de Magrelo na coordenação, vindo em seguida, Azambuja vencer as eleições para o Governo do Estado. Entre idas e vindas, debates e até mesmo decepção, Magrelo hoje é um dos que apostam na candidatura de Odilon.

Procurado pelo Nova News, Claudinei disse que viu no juiz Odilon o “novo” que esperava de Reinaldo em 2014 e que, em sua avaliação, não se concretizou. “Esperava que o atual governador me surpreendesse com algo diferente, porém, vi o mesmo, ou seja, troca de figurinhas entre antigos caciques já conhecidos no meio político. Isso me frustrou”, disse.

Outro caso a ser destacado é do ex-vereador Adriano Palopoli que, em um passado recente, foi fiel escudeiro do ex-prefeito Roberto Hashioka (PSDB), atual diretor presidente do Detran/MS (Departamento Estadual de Trânsito de Mato Grosso do Sul) e militou também em campanha do ex-governador Puccinelli. Já em 2014, Adriano disputou vaga para deputado estadual, em chapa encabeçada pelo atual governador Reinaldo Azambuja.

Palopoli é outro que já acenou que deve ficar do lado do juiz e inclusive se colocou à disposição na organização da campanha dele na região. Ao Nova News, ele disse que o juiz Odilon já percorreu um caminho de sucesso dentro da magistratura e que trata-se de um pessoa que tem tudo para retribuir à sociedade tudo aquilo que conquistou como juiz federal.

Palopoli ressalta que um dos pontos favoráveis ao juiz é que ele nunca foi da política e que tem o perfil que o eleitor procura hoje em dia. “Ele é uma nova opção que surge diante de um quadro de descrédito que a atual classe política atravessa. Então surge aí o nome de Odilon como opção de credibilidade para o eleitor votar”, explica.

Adriano Palopoli finaliza dizendo que o resultado será avaliado com maior clareza no decorrer do processo eleitoral, porém, resolveu arriscar dizendo que dependendo de como os adversários se comportarem, será bem provável que o juiz Odilon possa vencer ainda no primeiro turno.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.