Publicado em 28/04/2016 às 08:59, Atualizado em 26/04/2017 às 16:16

Renato Câmara participa de reunião com produtores e Ministério do Trabalho

, Assessoria de Imprensa

Os produtores de mandioca do Vale do Ivinhema e o Ministério do Trabalho estiveram reunidos em Ivinhema, no salão paroquial da Igreja Nossa Senhora Aparecida, na noite desta terça-feira para discutirem assuntos que está afetando a produção de mandioca na região. Após a primeira reunião, ocorrida em Campo Grande, representantes da Associação de Produtores de Mandioca; os vereadores  Júnior do Posto, Natal de Barros,  Ivonete Mendonça e Valter Petreli; o prefeito Eder Uilson França Lima (Tuta); diretor-presidente da Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural (Agraer), Enelvo Felini, o deputado Renato Câmara, o Superintendente do Ministério do Trabalho, Yves Drosghic, o responsável pela secretaria de Agricultura de Ivinhema, Edson Correa, o presidente da Associação dos Produtores e Industrializadores de Mandioca de Mato Grosso do Sul (Aipim), Osvaldo Cardonha estiveram reunidos para tratarem de assuntos relacionados às leis trabalhistas. 

Para o deputado Renato Câmara, a reunião é o melhor caminho para que os trabalhadores, empresários e o Ministério possam entrar num acordo (Imagem: Assessoria de Imprensa)

A reivindicação dos produtores se deve ao fato da exigência que o Ministério do Trabalho faz para que todos os trabalhadores sejam regularizados junto ao Ministério. Durante a reunião, intermediada pelo deputado Renato Câmara, um dos temas discutidos foi sobre a exigência do Ministério do Trabalho, para que os empresários registrem mão-de-obra esporádica dos trabalhadores diaristas. Para o responsável pela secretaria de agricultura de Ivinhema e produtor rural, Edson Correa da Silva, a contratação desses trabalhadores inviabiliza a produção de mandioca. “Como produtores, procuramos nos adequar junto ao Ministério do Trabalho. Mas sendo um trabalho sazonal, precisamos definir algumas detalhes para que ninguém saia no prejuízo”, comenta.

Para o deputado Renato Câmara, a reunião é o melhor caminho para que os trabalhadores, empresários e o Ministério possam entrar num acordo. “Os pequenos produtores levam a comida a mesa de todos os brasileiros diariamente, aqueles que dependem da subsistência da venda dos seus produtos que são em pequenas quantidades, mas precisamos encontrar um caminho para que eles possam ter condições de continuar produzindo”, finaliza Câmara.

COOPERATIVA - Os produtores estudam a criação de uma cooperativa ou mesmo de uma associação para que todos possam trabalhar de acordo com a lei.  Para Edson Correia, é de grande valia, o empenho do deputado em auxiliar a reunião entre os produtores, governo e Ministério do Trabalho.

Na reunião, ficou acordado que nos próximos dias, Campo Grande vai sediar uma audiência pública junto ao Ministério do Trabalho, para a viabilização da produção de mandioca.