Publicado em 11/02/2019 às 16:12, Atualizado em 11/02/2019 às 20:00

Com direção de nova-andradinense, espetáculo ‘Lisbela e o Prisioneiro’ estréia em Campo Grande

Com estética circense espetáculo será apresentado na Capital

Bárbara Ballestero, Redação Nova News

Fotos: Helton Perez

Cb image default

Lisbela e o Prisioneiro, livro lançado em 1964, por Osman Lins e adaptado para o cinema em 2003, agora ganha estética circense e estréia em Campo Grande no dia 16 de fevereiro, no Teatro da Mace.

A peça ganhou as telonas de todo o Brasil na interpretação de Débora Falabella e Selton Mello. “Lisbela e o Prisioneiro” conta a história do malandro, aventureiro e conquistador Leléu e da mocinha sonhadora Lisbela.

O espetáculo é produzido pelo professor nova-andradinense Fernandes Ferreira, que falou ao Nova News sobre a expectativa acerca da montagem.

Cb image default
Diretor do espetáculo, o nova-andradinense Fernandes Ferreira

NN: Como foi a escolha do roteiro?

FF – R: Havia concluído recentemente as montagens de "O Pequeno Príncipe” e "De Pai Para Filhos", ambas com temas doloridos e sombrios. Senti que era hora de buscar um tema mais ameno. Uma amiga havia terminado um mestrado que versava justamente sobre o texto do Osman Lins. Comprei 11 exemplares da peça e iniciamos as leituras. De primeira, descobrimos que o texto dramático original é bem diferente do filme homônimo roteirizado por Guel Arraes. Ciente de que o filme é campeão de bilheteira nacional e seria essa a expectativa do público, ver o filme no teatro, aproximamos os dois textos e estamos colocando em cena a nossa versão. Essa é a novidade que aguarda o público, incluindo a estética circense adotada para essa montagem.

NN: Como foi a escolha do elenco?

FF- R: Com a adaptação do texto, considerei importante ter um casal de jovens atores que pudessem dar vida a Lisbela e Leléu de forma convincente. Os acadêmicos do curso de artes cênicas da UEMS (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul), onde leciono, Andressa Zonta e Samir Henrique, cumprem com louvor essa missão. Há no elenco 3 atores oriundos de Nova Andradina: Murilo Pacheco, Gustavo Maia e Carlo Fabrizio, que teve atuação elogiadíssima em "De Pai Para Filhos".

NN: Há possibilidade de levar o espetáculo para outras cidades?

FF – R: Diferente de outras produções, "Lisbela e o Prisioneiro" não será apresentada em outras cidades, pois o elenco numeroso, assim como a estrutura cenográfica se transformaram em obstáculos que infelizmente, com a falta de recursos se torna intransponível.

O diretor convida o público sul-mato-grossense em geral para prestigiar o espetáculo que será apresentado nos dias 16, 17, 22, 23 e 24 de fevereiro.

Fernandes ainda dirige “Cordel do amor sem fim", texto premiado de Claudia Barral, com possibilidade de estrear em Nova Andradina em julho deste ano.

Os ingressos do espetáculo "Lisbela e o Prisioneiro"estão sendo vendidos na Livraria Leitura, no Shopping Campo Grande, por R$ R$ 40,00 (inteira) e R$ 20,00 (meia entrada).