Buscar

"É hora de fazer as contas", por Elizeu Gonçalves Muchon

Cb image default
Elizeu Gonçalves Muchon - Foto: Divulgação

Todo pai e toda mãe de família sensatos, faz um planejamento rigoroso nesta época do ano. Calcula os gastos com as confraternizações do Natal e Ano Novo. Compara o décimo terceiro com as contas extras que chegarão logo no início do ano. Tudo planejado para não contrair dívidas.

Assim deveria ser com o Governo. Aliás, com o governo deveria ser ainda mais rigoroso, pois ele gerencia o dinheiro da população.

Entretanto, o que se vê é exatamente ao contrário. O exemplo mais vergonhoso e irresponsável foi o aumento de 16% aos Ministro do STF (Supremo Tribunal Federal), aprovado pelo congresso Nacional e sancionado pelo Presidente Temer, no apagar das luzes.

Esse reajuste, para se ter uma ideia, vai gerar um impacto mensal no caixa do Governo Sul-mato-grossense de 8 milhões por mês. Algumas categorias de servidores estaduais, (conforme prevê a lei), serão beneficiadas pelo efeito cascata. São eles, servidores do fisco, Procuradores do Estado, Delegados, Deputados, Ministério Público e Juízes.

Sobre o assunto, assisti entrevista do Presidente Temer, que faz balanço positivo de seu rápido Governo. Ele comemora a melhora na economia e afirma entregar um país melhor do que o que recebeu. De fato, é verdade, até porque a Ex-Presidente Dilma teve o 3º pior PIB em 127 anos de República. Ganhou apenas dos Ex-presidentes Fernando Collor e Floriano Peixoto. Na verdade Dilma sofreu as consequências das lambanças feitas por Lula na economia do País.

Assim sendo, é mesmo real que Temer melhorou timidamente a economia, mas o que importa nesse momento são as condições que Bolsonaro vai assumir o País, e o planejamento para enfrentar o caos na segurança pública, na Saúde, na Educação, na Economia e em todos os demais setores públicos.

Como disse, essas contas e esse planejamento é absolutamente necessário que seja feito pelos Governos, Federal, Estaduais e Municipais. No caso específico de Mato Grosso do Sul, o ano começa com uma conta salgada com esse aumento imposto de cima para baixo, todavia, não isenta o Governo da responsabilidade de planejar os próximos 4 anos. É verdade, porém que Mato Grosso do Sul encerra o ano na 11ª posição entre os Estados mais bem colocados no índice SEBRAE de Desenvolvimento Econômico Local, mas é certo também o imbróglio no comprometimento do orçamento do Estado com gastos com servidores, em que pese algumas categorias estarem recebendo salários baixos.

Portanto, é hora de fazer contas e planejar o futuro. O mesmo serve para os municípios, muitos dos quais sequer vão conseguir pagar o décimo terceiro salário dos servidores. São exprimidos pelas regras do pacto federativo e via de regra pela má gestão.

De toda forma, é, evidentemente hora de fazer as contas e gastar menos do que o arrecadado. Vale para todo mundo, especialmente para o Governo.

Elizeu Gonçalves Muchon – Professor e Jornalista

elizeumuchon@hotmail.com

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.