Publicado em 20/05/2019 às 09:12, Atualizado em 20/05/2019 às 13:34

Nova Andradina: ‘Arte na Escola’ transforma muro com pinturas de mulheres inspiradoras

O projeto busca homenagear mulheres que se destacaram em diversos segmentos, tais como arte, esporte e direitos humanos

Bárbara Ballestero, Redação Nova News

Foto: Divulgação

Cb image default

O projeto ‘Arte na Escola’ transformou o muro da Escola Estadual Prof.ª Fátima Gaiotto Sampaio com pinturas que homenageiam mulheres influentes e inspiradoras. 

Desenvolvido na instituição há 3 anos, o projeto faz parte do programa ‘Arte e Cultura na Escola’, numa promoção do Governo do Estado de Mato Grosso do Sul, com a realização da Secretaria de Estado de Educação, por meio do Núcleo de Arte Cultura (NUAC).

O curso de pintura em tela tem como objetivo estimular o potencial sensível e criativo dos alunos, desmistificando a ideia de que arte é para poucos; além de aprenderem a desenhar e pintar, os alunos também confeccionam as telas.

Durante o mês de março, mês da mulher, alunos do Ensino Médio sugeriram para a professora Jéssica Lima, a realização de um projeto que homenageasse mulheres influentes na sociedade. Inicialmente os alunos Natiele, Amanda, Marcos, Vitória Maria, Vanessa, Lívia, Izabele, Thamires, Érika, Maria Isabel e Elisete realizaram uma pesquisa sobre mulheres que se destacaram em várias áreas, tais como arte, esporte e direitos humanos. Em seguida, foram selecionadas as imagens que foram reproduzidas no muro frontal da escola.

Entre as escolhidas, está a cantora e atriz Carmem Miranda, primeira mulher a assinar contrato com uma rádio, primeira sul-americana a ter seu nome na calçada da fama, ganhou visibilidade, assim encorajando as mulheres a lutar pelo seu espaço.

A socióloga, feminista e ativista Marielle Franco foi escolhida pela luta em defesa dos direitos humanos. Vereadora na cidade do Rio de Janeiro, sua trajetória política deu visibilidade à mulher negra.

No âmbito esportivo, a homenageada foi a jogadora de futebol Marta, escolhida seis vezes como a melhor jogadora de futebol do mundo. As conquistas de Marta provam que o futebol não é um esporte exclusivamente masculino.

Para representar a luta das mulheres pelo direito à educação, foi escolhida a paquistanesa Malala, mulher mais jovem a ganhar o Prêmio Nobel da Paz.

A mexicana Frida Kahlo destacou-se por sua trajetória profissional, seu nome figura entre os pintores mais importantes do século XX, além de enfrentar o machismo da sua época, ela também teve a superação de vida através da arte.

Anne Frank, judia, viveu durante a Segunda Guerra mundial, ficou conhecida por ter escrito um diário que relatava o sofrimento dos judeus durante o holocausto, foi escolhida pela sua trajetória comovente.

Helena Meirelles, violeira sul-mato-grossense, um grande exemplo para as mulheres da sua época entrando para o hall dos 100 melhores tocadores de guitarra do mundo, foi escolhida por representar Mato Grosso do Sul internacionalmente.

Embora as homenageadas sejam personagens de períodos históricos e culturais diferentes, todas enfrentaram uma sociedade machista e preconceituosa que tentava desmerecer suas lutas.