Buscar

“O Natal dos brasileiros”, por Elizeu Gonçalves Muchon

Cb image default
Elizeu Gonçalves Muchon - Foto: Divulgação

O Natal é uma data comemorativa que simboliza o nascimento de Jesus Cristo. Óbvio.

Além de rezar, é costume nosso, como Cristãos, confraternizar com nossas famílias com honras a nosso Mestre Jesus.

O que não é tão obvio assim, é como será a confraternização de parte dos brasileiros, que clamam por “alguma coisa”, como um menino carente que deseja um pirulito. Outra parte pode deleitar as trufas recheadas, o piru e todas as guloseimas que compõe as ceias e o almoço no dia seguinte.

Mas, focando no título sugerido por este aprendiz cronista, O NATAL DOS BRASILEIROS: - pois então, como será -?

Isso depende. Uma coisa é certa, será muito difícil para os milhões de desempregados.

Mesmo para os trabalhadores que tem o privilégio de ter um emprego e ganham um salário mínimo, também será difícil.

... Diziam as autoridades de nossa República: vamos fazer a Reforma “tal” que nossa economia será pujante. Surgirão empregos como sementeira no verão. Nem uma coisa, nem outra.

O preço da carne subiu. O Dólar subiu. O combustível, o gás de cozinha. A idade para se aposentar, como subiu. Se alguma coisa baixou, então me diga... Ah, o salário!

Ao cruzar a fronteira de 2.019/2.020, nota-se um crescimento pífio da economia. O único crescimento robusto é o radicalismo no comportamento dos grupos de extrema direita e esquerda.

De qualquer forma vamos deixar um pouco de lado essas citações, que poderão ser interpretadas como malevolências, pois não são, e pensar mais no verdadeiro espírito de Natal, se é que isso é possível.

Talvez seja correto lembrar Mateus 4:4 – Disse Jesus: nem só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que procede da boca de Deus.

Veja que Jesus em sua eterna sabedoria deixou claro: “nem só de pão viverá o homem”, portanto ele não excluiu o pão. O que é este pão? Entendo como sendo o alimento em sua plenitude, tanto é que o próprio Jesus multiplicou pães e peixes para saciar os famintos.

Portanto, é indubitável que Jesus quer a abundância a todos, embora ele, o profeto João e outros viveram com o mínimo. Todavia, o mais importante é a saúde e a paz. Em Provérbios 9:17 diz – Melhor é um pedaço de pão seco com PAZ e tranquilidade do que uma casa onde há banquetes e muitas brigas.

Então posso afirmar que quem disse como deve ser nosso Natal foi o próprio Cristo. É como se Jesus tocasse a campainha de sua casa, ou a porta de seu humilde casebre e com olhar generoso, contemplando sua frágil figura humana, lhe dissesse: que o pão e o vinho sejam abundantes em sua casa, mas sobretudo, a saúde e a paz estejam com você.

Cada um busca a felicidade da forma que lhe convêm. Jesus sugeri que seja nas coisas simples... Então, Feliz Natal.

Elizeu Gonçalves Muchon – Professor e Jornalista

elizeumuchon@hotmail.com

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.