Publicado em 11/03/2016 às 16:38, Atualizado em 26/04/2017 às 15:47

Proliferação de zika está ligada à falta de saneamento, diz ONU

, Isto É
(Foto: Divulgação)

Para combater o vírus zika, o Brasil e outros países latino-americanos terão de melhorar o serviço de saneamento básico. Em um alerta emitido na ultima sexta-feira, 11, a Organização das Nações Unidas (ONU) indicou que, além de tecnologia e busca por remédios, a luta contra o zika terá de incluir investimentos em infraestrutura.

"Enquanto o mundo procura soluções de alta tecnologia para combater o vírus zika, não devemos esquecer o péssimo estado do acesso à água e ao saneamento para as populações desfavorecidas", disse o relator Nações Unidas para o Direito Humano à Água, o brasileiro Léo Heller.

"Podemos criar mosquitos estéreis ou utilizar ferramentas da internet para mapear dados dos vários quadrantes do mundo, mas não devemos esquecer que, atualmente, há 100 milhões de pessoas na América Latina que ainda carecem de acesso a sistemas de saneamento higiênicos e 70 milhões de pessoas que não têm água encanada em seus terrenos ou dentro de suas residências", indicou.