Buscar

Suplementos de Vitamina D podem prolongar a vida de quem tem câncer, diz estudo

Foto: Pexels

Cb image default

Não é novidade que a Vitamina D é essencial para o bom funcionamento do corpo humano e que sua ausência pode proporcionar uma série de complicações. Este hormônio esteroide lipossolúvel pode ser obtido de três maneiras: após exposição solar, por meio da alimentação e por suplementação.

Apesar de dermatologistas e reumatologistas eventualmente discordarem sobre se é melhor usar protetor solar o tempo todo e evitar um câncer de pele no futuro ou se é preferível expor o corpo alguns minutos por dia ao sol e prevenir a osteoporose, as duas sociedades médicas concordam em um ponto: a suplementação é o melhor remédio em caso de déficit de vitamina D.

O que muitos especialistas não sabiam, é que além de todos esses fatores, pacientes que sofrem com o câncer podem ter a vida prolongada, graças a Vitamina D. É o que afirma um estudo realizado pela Universidade de Michigan, nos Estados Unidos (EUA).

A pesquisa revelou que o uso de suplementação de vitamina D pode reduzir em até 13% o risco de mortes por câncer. Os resultados foram apresentados no maior evento de oncologia do mundo, organizado pela American Society of Clinical Oncology (ASCO).

A pesquisa revisou 10 estudos sobre o tema, levando em conta dados de 79.055 pacientes, sendo que 78% eram mulheres com 68 anos em média. Os pacientes foram separados em dois grupos: um recebeu suplementação de vitamina D por quatro anos, enquanto ao outro foram administrados placebos. A iniciativa considerou justamente a faixa etária em que há mais casos de desenvolvimento de tumores. No entanto, nenhum dos pacientes incluídos no estudo já apresentava a doença.

A análise mostrou que as pessoas que tomaram o suplemento por pelo menos três anos apresentaram um risco 13% menor de morrer de câncer do que as que ingeriram placebo durante o mesmo período.

O que se pode concluir é que os resultados mostram que a vitamina D pode contribuir no combate ao câncer – não como tratamento principal, mas agregando benefícios, principalmente na saúde óssea de pacientes idosos.

Vale destacar que o indivíduo que faz uso de uma alimentação completa, rica em frutas, legumes, verduras e grãos, está mais bem preparado imunologicamente para combater a ação de agentes estranhos, que desde causam de uma simples gripe até um câncer.

Esses alimentos apresentam vitaminas e minerais importantes que irão manter o sistema imune mais forte. Ao contrário daqueles que ingerem somente alimentos mais gordurosos, industrializados, com excesso de açúcar e pobre em hortaliças em geral, frutas e grãos.

As principais vitaminas e minerais que fortalecem a nossa imunidade são: Vitaminas D3 e K2, A, C, E e ácido fólico, juntamente com os minerais Zinco e Selênio.

Entenda os benefícios de cada um:

Vitaminas D3: Esta é a forma inativa da vitamina D. Antes de poder exercer suas funções, a substância deve ser metabolizada pelo fígado e pelos rins para dar lugar à forma ativa desta vitamina: o calcitriol. O resultado é uma maior absorção de cálcio a nível intestinal, fortalecimento dos dentes, redução da pressão arterial e controle do apetite.

K2: A vitamina K2 está envolvida na coagulação do sangue e sua deficiência acarreta em ferimentos e sangramento excessivo.

Vitamina A: Possui papel fundamental no crescimento ósseo, desenvolvimento e manutenção do tecido epitelial, aumenta a imunidade e é importante para combater os radicais livres (ação antioxidante), prevenindo o envelhecimento celular.

Vitamina C: A vitamina C também estimula a absorção do ferro no intestino. Os indivíduos que não ingerem vitamina C suficiente, desenvolvem uma condição chamada escorbuto, que causa fadiga, sangramento e má cicatrização.

Vitamina E: É um importante antioxidante, atua na prevenção do envelhecimento precoce das células, estimula o sistema imunológico, reduz o risco de cataratas, protege contra doenças cardiovasculares, previne o câncer e doenças da pele.

Ácido fólico: Colabora para a síntese e reparação do DNA, divisão e crescimento celular, produção de novas proteínas, formação de hemácias. O folato é importante para a saúde cardiovascular e do sistema nervoso.

Zinco: Ótimo para a saúde reprodutiva e para a fertilidade de homens e mulheres. Além disso, há inúmeros benefícios do zinco para a boa forma, sobretudo porque níveis adequados de zinco favorecem o emagrecimento e o ganho de massa muscular.

Selênio: Aumenta a resistência do sistema imunológico (fazendo com que o corpo consiga combater as doenças com mais eficiência), diminui a probabilidade de ocorrência de doenças cardiovasculares pela sua ação benéfica para o coração e colabora para a desintoxicação, principalmente no que se refere aos metais pesados.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.